terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Top Ten Tuesday | Novos autores lidos em 2018


Há dias apercebi-me de que este ano não tinha respondido a uma única temática do Top Ten Tuesday, uma rubrica proposta todas as semanas pelo blogue That Artsy Reader Girl.
Assim, decidi adiantar-me e responder a este tópico, embora só esteja previsto para daqui a umas semanas. Esta é uma lista que gosto de fazer no último mês do ano.

Vou eleger um Top Ten de novos autores que li pela primeira vez em 2018.
Até ao momento, li 37 novos autores (número superior ao do ano passado) e apresento-vos de seguida os 10 de que mais gostei, sem uma ordem em particular.

1. Daniel Cole                            2. Gillian Flynn


3. Pedro Cipriano                             4. José Saramago


5. Chris Carter                             6. Carlos Ruiz Zafón


7. Judith Kerr                         8. Barbara O'Connor


9. Stephen King                          10. Jill Santopolo


segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Passatempo de NATAL

Natal é partilha e generosidade. É oferecer um sorriso.
E haverá melhor forma de oferecer sorrisos do que com a oferta de livros?

Assim, decidi escolher três livros da minha estante e oferecê-los a três dos meus leitores/seguidores.


Os livros em sorteio são:
- Reino de Feras - Gin Phillips
- Antes Que Seja Tarde - Margarida Rebelo Pinto
- Agenda Intemporal - Afonso Cruz

Que vos parece?

Regras:

- Ser seguidor do blogue e da minha página de Facebook;
- Partilhar o passatempo.
- O passatempo inicia-se hoje e termina dia 21 de dezembro, às 23h59.
- Serão efetuados três sorteios, pelo que cada pessoa poderá inscrever-se nos livros que desejar, bastando preencher novamente o formulário.
- O sorteio será efetuado no Ramdom.org.
- O vencedor será publicado no blog e contactado por e-mail, tendo 24h para responder, indicando a morada para envio do prémio.
- São aceites publicações de Portugal Continental e Ilhas.
- O envio dos prémios ficará a meu cargo (não me responsabilizo por extravios nos CTT).

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Livro Recebido]


Já chegou cá a casa mais um livro da Silvana, no âmbito do nosso projeto conjunto.

Este foi o livro que ela me enviou e que já foi passear um pouquinho:


Gostei muito da escolha dela. Assim que li a sinopse, acreditei que seria um livro divertido e leve, o que talvez fosse o que eu estava a precisar devido a vários motivos. Um deles foi o facto de ter terminado, no mês passado, a leitura de Misery, de Stephen King, e ter ficado com uma ressaca descomunal que me deixou sem qualquer vontade de ler. Ainda estou a recuperar desse livro!
Entretanto, já iniciei a leitura deste livro da Silvana e posso confirmar que está a ser bastante divertido!

Obrigada Silvana!
Visitem o blogue dela para ficarem a conhecer os motivos de me ter enviado este livro.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

"Cada Suspiro Teu" de Nicholas Sparks [Opinião]


Quem lê com frequência o meu blogue, sabe que tenho um grande carinho pelas obras de Nicholas Sparks. Como sempre, fiquei muito curiosa quando soube do lançamento do seu novo romance, desta vez inspirado numa história verídica.

Adoro a capa que a editora utilizou, bastante semelhante à original e bem diferente das capas demasiado cinematográficas dos outros livros do autor. Sempre gostei muito mais de capas sóbrias.

Cada Suspiro Teu conta-nos a história de Tru Walls, guia de safaris no Zimbabué, e Hope Andersen, nascida e criada na Carolina do Norte. Tru prepara-se para encontrar o pai que nunca conheceu e Hope está a viver um momento difícil. O destino junta-os numa praia - Sunset Beach - e a magia acaba por acontecer.

O facto de saber que este romance era inspirado numa história verídica fez-me acreditar que seria daqueles de chorar baba e ranho e possivelmente com um final não muito feliz, como por vezes o autor nos tem oferecido. Por isso, iniciei a leitura, preparando-me para isso.


A primeira metade do livro é, na verdade, muito semelhante a outros romances do autor, em que as personagens se conhecem e uma química começa a nascer entre eles. Contudo, neste romance tudo acontece bastante depressa, o que pode deixar de pé atrás os leitores mais céticos. Se a história não estiver bem construída, poderá ser difícil acreditar que eles se apaixonam em apenas um dia e meio.

O mais doloroso para mim foi a escolha que ambos tiveram de fazer, o que os levou a uma separação dilacerante. Mas a história não acabou aí e praticamente passei a metade restante do livro mergulhada em lágrimas.

A história não teve o final que eu esperava e estou grata por isso, por o autor nos ter mostrado que, por vezes, o destino tem mesmo uma voz, e que a esperança existe sempre até ao fim.

Quero destacar um pormenor interessantíssimo, que é a caixa de correio Alma Gémea, que o autor descreve na sua nota inicial, e cujo papel é fundamental ao longo do livro.
Há ainda uma nota final do autor, onde ele nos explica um pouco mais acerca destas personagens, o que conferiu mais riqueza à sua narrativa.

Apesar de não se ter tornado um dos meus livros preferidos do autor, é uma história de amor que vale a pena conhecer e que dará ao leitor algumas horas de leitura prazerosa, embora pautada por algumas lágrimas!

Classificação: 4/5 estrelas

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Palavras Sentidas


"A vida é um vago bocejo que acaba tão depressa que quase não temos tempo de notar que começou."

As Instruções da Pitonisa
Erik Axl Sund

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Antologia | "O Resto é Paisagem" de Vários Autores [Opinião]


Já aqui vos tinha apresentado a Antologia de Fantasia Rural O Resto é Paisagem, na qual tive o prazer de ver um conto de minha autoria ser publicado. Foi uma satisfação enorme estar no meio de tantos autores, alguns com bastante mais experiência do que eu em escrita.

Li todos os outros contos e, como leitora, também formei uma opinião de todos eles e fiquei com os meus preferidos.
Partilho então aqui a minha opinião a cada um dos contos desta Antologia, excetuando o meu, cuja opinião deixarei para os leitores!

"Rogos e Mitos" de Inês Montenegro (4*)
Um conto que aborda a temática dos incêndios e da devastação que ele causa às populações e aos locais por onde passa. A autora utiliza uma linguagem que aproxima o leitor do ambiente e das gentes da aldeia. Desta forma, sentimo-nos próximos, como se estivéssemos mesmo lá a assistir aos acontecimentos e à angústia sentida pelas pessoas neste momento de aflição indescritível. O final maquiavélico, e onde encontramos o elemento de fantasia, deixou-me com um sorriso perverso nos lábios. Gostei muito!

"O Prego no Portão" de João Ventura (4*)
Três amigos, estudantes de Direito, vão passar uns dias à aldeia onde vivem os avós de um deles. Durante as pausas ao estudo, aproveitam para conhecer a aldeia e algumas histórias populares que correm de boca em boca. Uma delas é a história do Prego no Portão, um acontecimento trágico que aconteceu, anos antes, na aldeia.
Gostei do conto, João Ventura é um bom contador de histórias e senti-me cativada desde o início. Contudo, esperava algo um bocadinho mais assustador, tendo em conta a temática que o autor introduziu. Senti, também, que o final foi um pouco abrupto, tendo-me deixado com vontade de mais.

"O Poço" de Simão Cortês (5*)
Esta narrativa super cativante dá-nos a conhecer Marta, uma pré-adolescente que se considera uma colecionadora de histórias do paranormal, na Pampilhosa da Serra. Corajosa e aventureira, não tem medo da noite e adora os mistérios e as criaturas que ela esconde. Quando o seu amigo Cláudio é encontrado morto, num poço abandonado, Marta decide que tem de investigar. Mas será que está preparada para o horror que irá encontrar?
Um conto assustador, capaz de nos provocar um arrepio na espinha, e que não consegui parar de ler até à última palavra. Bem escrito e com descrições muito bem conseguidas, este conto é uma delícia para os amantes de terror. Preciso de ler mais trabalhos deste autor! Um dos meus contos preferidos da antologia.

"O Espírito do Vento" de Lívia Borges (4*)
Roberto é o filho do moleiro. Vive na ilha de Porto Santo, gosta de números e ambiciona por uma vida melhor que não inclua trabalhar num moinho. Um dia, com um amigo, descobre uma misteriosa caixa, que guarda consigo, na esperança de ser capaz de descobrir o que ela esconde. Contudo, só muitos anos mais tarde é que o segredo será revelado ao neto de Roberto.
Gostei particularmente da escrita da autora, convidativa e agradável, e que mantém o interesse do leitor até ao final. Achei, contudo, alguns dos últimos diálogos pouco naturais em pessoas adultas, mas talvez tenha apenas sentido a falta de algumas descrições dos comportamentos e sentimentos das personagens ao longo das falas. Vale a pena ler!


"A Última Missa" de Raquel Cal (3*)
O Padre Figueiroa chega a uma nova paróquia e, enquanto se instala, começa a aperceber-se de coisas cada vez mais estranhas que acontecem naquela igreja.
Confesso que, quando, nas primeiras linhas, percebi que a personagem deste conto seria um padre, o meu pensamento resvalou de imediato para exorcismos. Porém, não foi esse o tema escolhido pela autora. Posso dizer que o conto tem algum suspense que mantém o leitor preso a cada palavra, ansioso por descobrir a razão daqueles estranhos acontecimentos. Senti necessidade de mais algumas explicações e o final acabou por não ter o impacto que eu desejava, talvez porque estivesse a imaginar algo diferente. Apesar de tudo, é uma agradável leitura!

"Chegou ao seu Destino" de Rui Ramos (3*)
Estranho. Esta é a palavra que define a minha primeira sensação com este conto. Um homem perdido no meio de uma estrada, com o telemóvel e o automóvel avariados. Por momentos, tive medo que o autor entrasse nalgum sítio comum, mas acabei por ser surpreendida. Após ultrapassar a antipatia inicial que senti pelo personagem, acabei por ficar muito curiosa e agradada com a criatividade do autor. Acompanhamos o personagem numa viagem repleta de perigos e de criaturas fantásticas, até ao seu derradeiro destino. Será que conseguirá lá chegar? Vale a pena descobrir!

"Já Não se Pode Ter um Bixo" de Carlos Alberto Espergueiro (3*)
Este é o conto mais pequeno da antologia. E é pela voz do Sr. Salustiano Casimiro que ficamos a conhecer uns estranhos bixos que ele encontra num estranho buraco no chão. Quem serão eles? E de onde virão? Um conto extremamente bem-humorado que nos apresenta um personagem sem papas na língua. Só fiquei com pena por o conto ser tão curto; queria ler mais! Recomendo!

"A Solidão é um Deus Negro" de Ricardo Correia (5*)
Cecília deixou de sorrir no dia em que perdeu o seu amado, Manuel, doze anos antes. Mas Cecília deixou também de sentir o que quer que fosse dentro do seu peito e o seu luto deu origem a um buraco negro, um vazio que se estendia a toda a aldeia.
Achei este conto muito interessante e precisei de o ler mais de uma vez para ser capaz de fazer a minha interpretação. Devo dizer que a escrita é belíssima e merece que cada palavra seja saboreada. Além disso, a narrativa está tão impregnada com a dor de Cecília que dá a sensação de que esse vazio se estende até ao leitor, causando-lhe um certo mal-estar durante a leitura. O autor recorre a uma peste, uma epidemia que nasceu com o sofrimento de Cecília e se estende pela população, dizimando toda a vida em seu redor, para nos mostrar o poder da solidão. É um conto que convida à reflexão, mostrando como a solidão e a depressão podem afetar todos à nossa volta e alertando para a importância de fazer o luto corretamente. Um conto para ler e reler!

"Anátema" de Pedro Nuno Galvão (3*)
Para mim, este foi um dos contos mais difíceis da antologia. Trata-se de um monólogo bastante ambicioso, resultante de uma conversa entre dois indivíduos que estão longe da cidade, mas o conto dá-nos apenas as falas de um deles, aquele que está há mais tempo a viver na natureza. Confesso que me provocou alguma estranheza e nem depois da segunda leitura o achei mais fácil de compreender. Não deixa de valer a pena a sua leitura, mas talvez seja um conto que não conquiste facilmente todo o tipo de leitores.

Por fim, nesta Antologia, podem ainda encontrar o meu conto - A Maldição da Casa da Colina - cuja opinião deixarei a cargo dos leitores. Espero sinceramente que seja uma leitura prazerosa!

Faço um balanço muito positivo da Antologia e volto a mencionar a importância de lermos autores portugueses, de apoiarmos as pequenas editoras e de darmos uma oportunidade ao talento que existe no nosso país.

Classificação: 4/5 estrelas

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Palavras Sentidas


"Hunter compreendia a necessidade intrínseca aos seres humanos de comunicarem entre si. Conversar tem um efeito psicológico de purificação, e esta necessidade cresce exponencialmente quando alguém tem consciência da sua morte iminente."

O Escultor da Morte
Chris Carter

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Aquisições: Novembro

Novembro foi o mês de escrever, mas os livros não deixaram de chegar cá a casa.
Vamos ver o que recebi?

- Ao longo do mês, foram chegando livros emprestados. O Misery já foi lido e devolvido à melhor amiga; em breve sairá a opinião.

EMPRÉSTIMOS


- Aproveitei ainda as promoções da WOOK para adquirir mais um livro da Tess Gerritsen, e encontrei o livro da direita a um preço excelente no OLX.

COMPRAS


E o vosso mês como correu a nível de aquisições?

sábado, 1 de dezembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Balanço Final


Há dias diziam-me que me estava a forçar a escrever.

Não é verdade. O NaNoWriMo é um desafio de escrita, que nos convida a escrever um romance completo ao longo de um mês. O que se pretende não é encontrar a palavra perfeita para a frase perfeita, mas sim escrever o primeiro rascunho da nossa história, algo a partir do qual se pode trabalhar mais tarde.

Sendo um primeiro rascunho, vai estar obviamente muito imperfeito, repleto de gralhas, inconsistências e buracos por preencher. Mas um rascunho é mesmo isso.

Já Ernest Hemingway dizia: “The first draft of anything is shit.”

Assim, participar no NaNoWriMo é como ir correr uma maratona, com a diferença de que em vez de quilómetros, temos palavras para percorrer.

Pelo segundo ano consecutivo, consegui atingir as 50.000 palavras e, desta vez, consegui escrever a história de início ao fim, o que é uma sensação ainda mais recompensadora.

Este é o gráfico que mostra a evolução da minha escrita ao longo do mês:


Este ano tentei dar um avanço logo nos primeiros dias, para compensar aqueles dias de desânimo - que surgiriam com toda a certeza - em que iria escrever pouco.

É muito fácil ceder à tentação de desistir. Afinal, se temos tantas coisas interessantes para fazer nos tempos livres, se há tantos livros a quererem ser lidos, tantas séries na Netflix a chamar por nós, por que razão haveríamos de passar um mês a queimar neurónios a escrever?

Bem, talvez porque a sensação de criar algo, de dar vida a personagens que apenas viviam na nossa imaginação, é a maior recompensa que podemos receber. A persistência, o treino da criatividade e a dedicação transformaram-se em algo real, assim como nos permitiram adquirir um hábito diário de escrita.
É por isso que este desafio é tão recompensador  e viciante!

Nos próximos dias tenciono descansar e pôr as séries em dia. E, claro, arranjar maneira de comer uma grande fatia de bolo de chocolate que andou a assombrar-me ao longo de todo o mês.
Depois, chegará o momento de voltar a trabalhar no manuscrito recém-nascido.

Muitos parabéns a todos os que se permitiram participar neste desafio, quer tenham ou não atingido o objetivo final!


quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Palavras Sentidas


"Muitas vezes, a maneira como as pessoas interpretam uma situação diz mais acerca delas do que acerca da situação. (...) Vemos tudo através do filtro dos nossos desejos e arrependimentos, das nossas esperanças e medos."

O Que Fica Somos Nós
Jill Santopolo

terça-feira, 27 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 27: Balanço

 
Passaram já vários dias desde o meu último balanço. Apenas a três dias do fim do mês, e do fim desta aventura louca de escrita, posso dizer que está a ser uma experiência bastante diferente da que tive no ano passado.

Não gosto de metade do que escrevi e sei que terei muito trabalho a seguir a rever, editar, escrever, apagar, re-escrever, assim como a estruturar melhor a história.

A meta para hoje era atingir as 45 000 palavras e estou bem encaminhada. A nível de número de palavras, sei que vou conseguir atingir o objetivo.
A minha maior preocupação agora é saber que ainda estou bastante atrasada na história. Era importante conseguir chegar ao fim para ficar com o maior número de cenas e ideias anotadas, para depois ter mais material para analisar. Não sei se vou conseguir, mas estou a apressar esta parte final que, em consequência, ficará bastante mais trapalhona.

Vamos lá agarrar com força estes últimos três dias!

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Momentos WOOK

Os momentos WOOK estão de volta na semana louca
do Black Friday!

Uma excelente promoção para começar a adquirir algumas prendas de Natal.

Quem vai aproveitar?

Cliquem na imagem e escolham os vossos livros!

momentos-wook-mrec

Promoção de 25% (20% imediato + 5% em cartão Wookmais) em livros, exceto manuais escolares e livros vendidos no marketplace.
Nos livros publicados há menos de 18 meses e nos livros classificados no tema "Direito", o desconto é de 20% imediato.

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Palavras Sentidas


"Será que todas as pessoas têm a sorte de encontrar alguém que consegue ver o que nem a própria pessoa consegue ver em si?"

As Impertinências do Cupido
Ana Gil Campos

sábado, 17 de novembro de 2018

"A Sombra do Vento" de Carlos Ruíz Zafón [Opinião]


Durante a leitura de A Sombra do Vento, tive curiosidade em ler algumas opiniões e constatei que curiosamente em muitas delas os leitores referiam que este livro precisava de uma altura certa para ser lido.
Isto fez-me pensar que devo ter escolhido o momento mais errado para o ler. E porquê? Porque foi necessário quase um mês e muita insistência da minha parte para o conseguir terminar.

Logo de início, deparei-me com a escrita maravilhosa do autor, escrita esta que deixa qualquer um a sentir-se impotente na forma como utiliza as palavras. Uma escrita riquíssima e, por essa razão, densa, dificultando o avançar da leitura.

A primeira parte do livro foi a mais complicada, avancei tão devagar que cheguei a sentir-me desesperada. A par disso, foi muito difícil manter-me motivada, embora aquele mistério me tivesse deixado curiosa desde as primeiras páginas.

Passada a primeira metade do livro, a leitura começou a correr melhor, apesar de eu nunca conseguir avançar muito de cada vez.
Senti-me cativada pela história dramática de Julian Carax, magnificamente bem contada. Por sua vez, gostava de ter visto mais da relação de Daniel e Bea, mas fiquei contente pela forma como acabou. Foi um final reconfortante.

Quero ainda dar destaque a Fermín, uma das personagens mais divertidas que encontrei na literatura nos últimos tempos. Posso mesmo afirmar que ele foi de uma grande ajuda  quando o meu aborrecimento ameaçava vir ao de cima, fazendo-me rir nos momentos em que mais precisava.

Uma leitura que recomendo, mas tenham em conta que é um livro denso e que talvez tenham de procurar a melhor altura para se perderem nele.
Vou certamente procurar mais obras do autor, mas apenas quando sentir que tenho mais disponibilidade mental para isso.

Classificação: 4/5 estrelas

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 15: Balanço


E chegamos exatamente a meio do mês, ao dia 15 da loucura do NaNoWriMo.

Tem sido uma luta diária para me manter dentro do meu objetivo e, apesar de algumas contrariedades e de surgirem momentos que nos deitam completamente a baixo, tenho conseguido superar. Durante estes 15 dias, escrevi todos os dias, mesmo naqueles em que não sentia um pingo de vontade de escrever.

A meta para hoje era atingir as 25 000 palavras e é com muito orgulho que anuncio que já conto com 25 186!

Continuo determinada em levar o desafio até ao fim. Não faço ideia se a minha história vai chegar sequer perto daquilo que imagino, mas haverá tempo, mais tarde, para analisá-la atentamente e fazer todas as reformulações e revisões necessárias.

Por enquanto, o importante é continuar, por mais que custe, por maior que seja a pressão. Chegar ao fim deste desafio é algo realmente recompensador!