sábado, 17 de novembro de 2018

"A Sombra do Vento" de Carlos Ruíz Zafón [Opinião]


Durante a leitura de A Sombra do Vento, tive curiosidade em ler algumas opiniões e constatei que curiosamente em muitas delas os leitores referiam que este livro precisava de uma altura certa para ser lido.
Isto fez-me pensar que devo ter escolhido o momento mais errado para o ler. E porquê? Porque foi necessário quase um mês e muita insistência da minha parte para o conseguir terminar.

Logo de início, deparei-me com a escrita maravilhosa do autor, escrita esta que deixa qualquer um a sentir-se impotente na forma como utiliza as palavras. Uma escrita riquíssima e, por essa razão, densa, dificultando o avançar da leitura.

A primeira parte do livro foi a mais complicada, avancei tão devagar que cheguei a sentir-me desesperada. A par disso, foi muito difícil manter-me motivada, embora aquele mistério me tivesse deixado curiosa desde as primeiras páginas.

Passada a primeira metade do livro, a leitura começou a correr melhor, apesar de eu nunca conseguir avançar muito de cada vez.
Senti-me cativada pela história dramática de Julian Carax, magnificamente bem contada. Por sua vez, gostava de ter visto mais da relação de Daniel e Bea, mas fiquei contente pela forma como acabou. Foi um final reconfortante.

Quero ainda dar destaque a Fermín, uma das personagens mais divertidas que encontrei na literatura nos últimos tempos. Posso mesmo afirmar que ele foi de uma grande ajuda  quando o meu aborrecimento ameaçava vir ao de cima, fazendo-me rir nos momentos em que mais precisava.

Uma leitura que recomendo, mas tenham em conta que é um livro denso e que talvez tenham de procurar a melhor altura para se perderem nele.
Vou certamente procurar mais obras do autor, mas apenas quando sentir que tenho mais disponibilidade mental para isso.

Classificação: 4/5 estrelas

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 15: Balanço


E chegamos exatamente a meio do mês, ao dia 15 da loucura do NaNoWriMo.

Tem sido uma luta diária para me manter dentro do meu objetivo e, apesar de algumas contrariedades e de surgirem momentos que nos deitam completamente a baixo, tenho conseguido superar. Durante estes 15 dias, escrevi todos os dias, mesmo naqueles em que não sentia um pingo de vontade de escrever.

A meta para hoje era atingir as 25 000 palavras e é com muito orgulho que anuncio que já conto com 25 186!

Continuo determinada em levar o desafio até ao fim. Não faço ideia se a minha história vai chegar sequer perto daquilo que imagino, mas haverá tempo, mais tarde, para analisá-la atentamente e fazer todas as reformulações e revisões necessárias.

Por enquanto, o importante é continuar, por mais que custe, por maior que seja a pressão. Chegar ao fim deste desafio é algo realmente recompensador!

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Palavras Sentidas


"A bondade liga a quem somos, ao passo que a simpatia liga a como queremos ser vistos."

A Cada Dia
David Levithan

sábado, 10 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 10: Balanço

 
Nos últimas dias, muita coisa aconteceu. Comecei a sentir que algo não estava bem na minha história pois, à medida que avançava, o meu interesse ia diminuindo. A meio da semana, acordei de manhã e algo fez click na minha cabeça: tinha começado mal. Muito mal. Na minha ânsia de ter uma boa estrutura, acabei por ignorar a minha intuição ao pensar demais e acabei por fazer asneira.
Claro que nem tudo está perdido. Tudo o que escrevi acabará por precisar de ser reformulado e mudado de lugar, mas não é completamente inútil.

O desalento atingiu-me e, durante uns dias, senti-me desanimada e a escrita acabou por sofrer. Entretanto, depois de receber algumas palavras de apoio, a fase má começou a passar e decidi centrar-me numa parte diferente da história. Neste momento, estou a escrever as analepses, que podem ser consideradas uma história à parte. Assim, terei tempo de refletir acerca da restante história.

Em relação ao número de palavras, a meta para o dia 10 é chegar às 16 667 palavras. Neste momento, tenho 16 829, o que significa que estou bem encaminhada, apesar da fraca prestação dos últimos dias. Antes de terminar a noite, ainda espero fazer crescer este número.

Durante o NaNoWriMo, recebemos ainda palavras de apoio de diversos escritores, que nos falam da sua experiência, ou simplesmente nos deixam algumas dicas.
 
A primeira "conversa" veio do escritor Andy Weir. Um dos conselhos que partilhou connosco e que achei muito interessante é o seguinte: devemos resistir ao impulso de contar a nossa história aos nossos amigos e familiares. Isto porque algo que motiva os escritores é o desejo de que as pessoas experienciem as suas histórias. Precisam de uma audiência.
Desta forma, contar a história verbalmente vai satisfazer esse desejo de audiência, o que diminui consideravelmente a motivação para a escrever. Assim, ao não contar a história fora das páginas, teremos uma boa razão para terminar de escrever o livro.

E agora, toca a voltar à escrita!

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Palavras Sentidas


"O desgosto é arrasador, consome-nos por completo. Mas o desgosto é uma mera visita para os amigos, até para os mais chegados. Permanece muito mais tempo, quiçá para sempre, com os familiares, mas talvez tenha mesmo de ser assim."

Falta de Provas
Harlan Coben

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 5: Balanço

 
Não era minha intenção fazer balanços diários, mas estes badges que nos disponibilizam diariamente são demasiado irresistíveis.

O objetivo de hoje foi, sobretudo, lutar contra a minha gémea perfeccionista que, desde ontem à noite, me apercebi que começava a querer tomar o controlo. Não é fácil lutar contra isto, gosto sempre de escrever tudo de forma o mais perfeita possível, mas, num desafio como este, em que o mais importante são as palavras, não podemos perder tempo à procura da perfeição.

Sentia-me bloqueada no meio da cena que estava a escrever ontem, por isso hoje dediquei-me a escrever um capítulo separado sob o ponto de vista de outra personagem, na tentativa de ganhar algum ânimo.
Correu bem, escrevi cerca de 1500 palavras e continuo com um bom avanço em relação à meta que era esperada para hoje.

domingo, 4 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 4: Balanço


Hoje foi o 4º dia de NaNo e também o dia em que menos escrevi, pela simples razão de que não estive em casa a tarde toda.
Porém, consegui adicionar algumas palavras agora à noite e atingir as 10.041 palavras. O objetivo de hoje era chegar às 6667, o que significa que continuo com um bom avanço.

Continuo bastante motivada com o meu projeto e todos os dias surgem novas ideias para adicionar ao enredo.
Esta competição e o facto de saber que há tanta gente no mundo a lutar pelo mesmo objetivo é algo que me motiva bastante, embora por vezes seja um bocadinho stressante.

O meu pensamento de hoje foi: "O NaNo é magia.". E porquê? Porque é incrível saber que há 4 dias eu não tinha nada e, neste momento, tenho cerca de 25 páginas escritas de uma história que andava há meses na minha cabeça e que eu estava sempre a procrastinar o momento de me dedicar a ela.

sábado, 3 de novembro de 2018

Livro do Mês: Outubro

Chegamos ao fim de mais um mês, portanto chegou o momento de analisar as minhas leituras.

Estes foram os livros que me acompanharam ao longo do mês de outubro:


O mês começou muito bem com o livro da B. A. Paris, que devorei em três ou quatro dias. Depois iniciei A Sombra do Vento e, quando dei por isso, tínhamos chegado ao penúltimo dia do mês e eu ainda a lutar para terminar o livro. Foi uma leitura densa que, após muito insistir, lá me cativou de verdade. Pelo meio, ainda consegui ler um livro de um autor português.

Vou destacar o livro que consegui ler de um fôlego e que surgiu numa altura em que precisava mesmo de uma leitura assim viciante!

LIVRO DO MÊS


sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Aquisições: Outubro

Hoje despedimo-nos de mais um mês e chegou o momento de vos mostrar as minhas aquisições literárias.

- A minha melhor amiga emprestou-me este livro, que me manteve entretida ao longo de todo o mês. Não foi uma leitura fácil mas o balanço é positivo.

EMPRÉSTIMO


- Este mês comprei um livro da Editorial Divergência que foi lançado no dia 13, no Fórum Fantástico, e, mais tarde, aproveitei uma promoção da WOOK para adquirir o mais recente livro no Nicholas Sparks.

COMPRAS


- Por fim, no dia do lançamento, veio comigo o exemplar da antologia O Resto é Paisagem a que tive direito, como autora. Um livro para ocupar um lugar bem especial e destacado na minha estante!

OFERTA


E como correu o vosso mês a nível de aquisições?

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Dia 1: Balanço

 
Não vou fazer um balanço diário, mas quis assinalar este primeiro dia com este badge oferecido pela equipa do NaNoWriMo.

A meta era atingir as 1667 palavras e consegui chegar às 4081, o que me deixa imensamente satisfeita pelo meu desempenho neste primeiro dia. Além do mais, é já um bom avanço para compensar alguns dias menos produtivos que possa vir a ter.

Acho que foi muito interessante começar a trabalhar numa história nova e talvez isso me tenha dado uma inspiração acrescida.
A escrita está bastante trapalhona, mas esse é outro objetivo que vou treinar durante este mês: não ser tão perfeccionista, dado que o objetivo princial do Nano é ficarmos com um primeiro rascunho do nosso romance, não importando, nesta fase, a sua qualidade.
 
Vamos lá ver se a inspiração se mantém nos próximos dias.

Boa escrita para todos os participantes!

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Palavras Sentidas


"Com o amor, às vezes, há uma surpresa ao virar de cada esquina, uma oportunidade de crescer, aprender e descobrir que, afinal, somos perfeitos tal como somos."

Os Muitos Nomes do Amor
Dorothy Koomson

terça-feira, 30 de outubro de 2018

NaNoWriMo 2018 - Preparação


Todos os anos, em novembro, acontece o NaNoWriMo, ou National Novel Writing Month, que, para quem não conhece, é uma espécie de competição a nível mundial, que convida autores amadores ou profissionais a escreverem um romance com pelo menos 50 000 palavras no espaço de um mês (1 a 30 de novembro).

No ano passado, participei pela primeira vez e foi uma experiência incrível, na qual superei todas as minhas expectativas. Consegui as 50 000 palavras e transformei um pequeno conto num romance que, neste momento, está completo.

Agora chegou o momento de desenvolver uma nova ideia. Estava indecisa sobre se deveria participar ou não, porque sei que no ano passado me privei de muita coisa para aproveitar todos os bocadinhos para escrever, por isso decidi participar, mas sem toda a pressão de atingir o resultado final. Claro que isto é mais difícil do que parece, dado que ter um deadline e ver o nosso gráfico das palavras a crescer acaba por tornar-se viciante e ser, só por si, um grande incentivo a continuar.

Este ano vou também partir para o NaNoWriMo com uma ideia já um pouco estruturada e um resumo da história para ver se a experiência de escrita é diferente e se não me perco tanto.

Além disso, vai ser um exercício de escrever sem pensar na qualidade. Eu sou muito picuinhas a escrever, perco imenso tempo a pensar nas melhores palavras, na melhor forma de redigir cada ideia, cada frase e, por vezes, sou capaz de demorar duas horas para escrever 500 palavras. O meu objetivo será esforçar-me por me desligar desse aspeto dado que, mais tarde, haverá tempo para trabalhar a qualidade do texto.

Tentarei também passar por cá uma ou duas vezes durante o mês para fazer um balanço da experiência e da escrita.

Caso alguém desse lado também vá participar nesta aventura, partilhem comigo. Terei todo o gosto em acompanhar o vosso progresso!

Boa sorte a todos os participantes e força nesses dedos!

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

"As Nuvens de Hamburgo" de Pedro Cipriano [Opinião]


As Nuvens de Hamburgo ganhou, este ano, o Prémio Adamastor de Literatura Fantástica Portuguesa. Este e os outros Prémios Adamastor são organizados pelo Colectivo Trëma e são atribuídos todos os anos durante o evento Fórum Fantástico.

Tinha imensa curiosidade em relação a este livro, embora não soubesse muito bem o que esperar da história. É um livro pequeno, que não chega às 100 páginas e, por vezes, tenho de confessar que sinto alguma reserva em relação a livros curtos. Não porque não sejam bons, mas geralmente pecam pela falta de desenvolvimento.

O livro do Pedro acabou por ser uma pequena grande surpresa. É-nos apresentada Marta, uma estudante de Erasmus que escolhe a cidade de Hamburgo como forma de se distanciar dos pais, demasiado protetores. Assim que chega à sua nova cidade, descobre que consegue viajar no tempo e, nestas suas viagens, testemunha as brutalidades do Holocausto.

A história é narrada em primeira pessoa e, de início, ainda me custou a ver a Marta como uma mulher. Penso que estava a imaginar o próprio autor, que viveu na Alemanha, e certamente muitos dos pormenores que encontramos no livro se baseiam um pouco na sua experiência.

Acompanhamos a experiência de Marta numa nova cidade, que se revela deveras desafiante. Vemo-la a fazer novas amizades e a lutar para ultrapassar as barreirais culturais e linguísticas. Creio que o autor mostrou muito bem este aspeto. Eu considero o alemão uma língua bastante difícil (acho que aprenderia mais facilmente russo do que alemão) e, por diversas vezes, senti as aflições da personagem por estar num país novo e ainda não se sentir à vontade com a língua.

A par de tudo isto, começam a suceder-lhe as estranhas viagens temporais. Nesses momentos, Marta é transportada para a Alemanha da Segunda Guerra Mundial e dá por si a testemunhar as brutalidades que foram cometidas nesses tempos. A confusão inicial dá origem à curiosidade de perceber porque é que aquilo lhe está a acontecer e se haverá forma de controlar ou impedir aquele seu "dom" de acontecer. À medida que as viagens se tornam mais perigosas, fica ainda mais urgente desvendar todo aquele mistério.

Este pequeno livro, com uma escrita simples, dinâmica e sem floreados linguísticos, leva-nos numa viagem cativante pela Alemanha nazi. As viagens no tempo tornam a história viciante e adicionam suspense ao livro. Tal como a personagem, também o leitor não descansará até chegar à última página. Esta deixa-nos aquela sensação reconfortante de quem se perdeu numa boa leitura e ainda uma pequena promessa de uma continuação. Será que ainda vamos conhecer mais aventuras da Marta?

Uma leitura que me surpreendeu pela positiva e que recomendo! Vamos apostar nos autores portugueses, pois o nosso país está repleto de talentos para descobrir!

Classificação: 3/5 estrelas

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Dia das Compras na Net

Hoje é o Dia das Compras na Net
e a WOOK está a festejar com promoções tentadoras!

20% a 50% de Desconto + Portes Grátis!

https://www.wook.pt?a_aid=4e9463ff3e27b

Cliquem na imagem e escolham os vossos livros.

Boas compras e boas leituras!

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Os motivos]


Já enviei para a Silvana um novo livro para darmos continuidade ao nosso projeto conjunto.

Aqui está o livro escolhido:


Motivos da minha escolha:

Desta vez, fizemos um pequeno jogo: escolhi 4 livros que lhe poderia enviar e anotei a primeira frase de cada livro. Mostrei-lhe as frases, pedi-lhe que escolhesse uma delas e, por fim, enviei-lhe o livro correspondente.
Dos 4 livros que escolhi, 2 eram da Colleen Hoover, autora que já proporcionou boas leituras à Silvana; os outros dois eram do Harlan Coben, um autor que a Silvana nunca leu e que me canso de insistir com ela para experimentar. Acho que chegou finalmente esse momento!

Espero que gostes. Boa leitura!