terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Balanço de leituras e Top 10 - 2019

Estamos prestes a despedir-nos de mais um ano e chegou o momento de fazer o habitual balanço de leituras e de eleger o meu Top 10 de melhores leituras.

Comecei este ano por elevar ligeiramente o meu desafio do Goodreads, tendo-me desafiado a ler 45 livros. Uma vez que comecei o ano a ler alguns calhamaços, isso atrasou-me logo o desafio e, ao longo do ano, o atraso foi-se acentuando sempre. Tenho de confessar que em dezembro baixei o desafio para 40 livros e socorri-me ainda de alguns contos para completar esse valor. Conforme se pode ver na imagem do meu desafio de leitura do Goodreads, completei o desafio à rasquinha, embora através de um bocadinho de "batota"!


Assim, em 2019, consegui ler 40 livros (ou 40 leituras, dado que se incluem aqui três contos).
Li ligeiramente mais no 2º semestre do ano, mas a diferença entre os semestres é apenas de dois livros.

Aqui estão as minhas leituras mais curta e mais longa:
(Excetuando esse conto, o livro mais curto que li tinha 107 páginas e era juvenil.)


Este anos li apenas 1 livro em e-book.

No total, contei 14 107 páginas lidas, valor superior ao do ano passado, embora este ano o número de livros tenha sido menor.
Li 5 livros que considerei calhamaços - com mais de 500 páginas, o que foi uma surpresa visto que desde 2015 que eu não lia tantos livros volumosos!
Naturalmente, os calhamaços ajudam a aumentar o número de páginas lidas. O valor que li dá uma média de 38 páginas por dia, o que também me surpreende. Há alturas, geralmente durante a semana, em que não leio sequer 20 páginas por dia. Acabei por me redimir com algumas boas tardes de leitura!

A média de pontuação (1 a 5) atribuída aos livros no Goodreads foi de 3.7, valor ligeiramente mais alto em comparação com o ano passado.
Se, no ano passado, apenas atribuí 5 estrelas a 3 livros, este ano já consegui ser mais generosa, classificando 8 livros com a pontuação mais alta. Sou mais exigente, é verdade, mas este ano cruzei-me com leituras muito gratificantes. Além disso, sou da opinião de que há livros que merecem mesmo as 5 estrelas, por isso não devemos andar a guardá-las em busca do livro perfeito!

Por outro lado, atribuí 1 estrela a 2 livros, o que foi provavelmente um record da minha parte, uma vez que sempre tive o cuidado de ser meiguinha com os livros. Mas a verdade é que, se sou exigente para o bom, também tenho de o ser para o mau.

No que diz respeito a géneros literários, os que mais se destacaram este ano foram o thriller/policial, com quase metade das leituras dentro destes géneros. Este tipo de livros tem-me fascinado cada vez mais, por isso é natural que continuem a estar muito presentes dentro de tudo aquilo que leio.
Este ano continuei a apostar no género terror, tendo lido 3 livros dentro desta categoria.

Conheci 20 novos autores, valor inferior ao do ano passado mas apenas porque em 2018 li mais que uma antologia. Este ano, li mais autores do sexo feminino, embora a diferença não seja assim tão grande.

Consegui ler 12 autores portugueses, valor inferior ao do ano passado devido, como já referi, às antologias.
Os autores portugueses que li este ano pela primeira vez foram: Carolina Paiva, Ana Nunes, Bruno Martins Soares, Diana Pinguicha, Anton Stark, Rita Canas Mendes e Gilberto Pinto.
Posso também referir que li um trabalho de Pedro Lucas Martins, no âmbito da minha colaboração com a Editorial Divergência, como editora e revisora de texto.

Este ano também repeti vários autores: li 3 livros da Tess Gerritsen, do Stephen King, do Harlan Coben e do Nuno Nepomuceno.

Relativamente à proveniência dos livros, li 17 livros comprados e 13 emprestados. Li também 6 que vieram de parcerias com editoras.

Por fim, fiz um pequeno gráfico para ilustrar o progresso da leitura de livros da minha estante. Claramente, investi mais nos livros adquiridos em 2019 e 2018. No próximo ano, pretendo dar mais atenção aos livros que já cá estão há mais tempo.


Em 2019 foi também o ano em que me desleixei com a escrita, apesar de todo o entusiasmo que senti com a minha primeira publicação em 2018: um conto que pode ser lido na antologia de Fantasia Rural O Resto é Paisagem, da Editorial Divergência.

Não participei no NaNoWriMo e pretendo, em 2020, investir um pouquinho mais na escrita!

Por fim, deixo-vos o meu habitual Top 10 de melhores leituras, sem ordem de preferência.


TOP 10 - 2019


Resta-me desejar-vos um magnífico ano de 2020 com muito sucesso a todos os níveis. Espero que não vos falte amor, saúde, trabalho e, claro, bons livros para lerem no novo ano que se avizinha!

Aquisições: Dezembro

Já não falta muito para nos despedirmos de 2019 e ainda há tempo para vos mostrar o que chegou cá a casa durante este mês.
Vamos ver?

- Para começar bem o mês, recebi uma oferta da Topseller, a quem agradeço pela simpatia e generosidade. Já terminei a sua leitura e a opinião já se encontra disponível no blogue.

OFERTA EDITORA


- Aproveitei um voucher de 10€ que andava a guardar e adquiri o novo livro da Colleen Hoover, como prenda de Natal de mim para mim. Estou ansiosa por iniciar a leitura!

COMPRA


Recebi um livro no Natal oferecido pelo meu irmão, mas ele teve o azar de comprar-me um livro que eu já tinha. Assim, levou-o para ir fazer a troca, com uma pequena ajuda minha: uma lista de livros que poderá escolher sem medo. Estou muito curiosa por saber qual será o livro escolhido.

E como correu o vosso mês de dezembro a nível de aquisições literárias?
O Pai Natal foi generoso convosco?

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

As 10 opiniões mais lidas de 2019

No ano passado, reuni uma lista com as 10 opiniões mais lidas ao longo do ano e acabei por gostar de ver o resultado. Assim, como estamos em época de balanços, vamos ver quais foram as opiniões que mais interesse despertaram em 2019.

Este ano consegui fazer 40 leituras, embora até à data só estejam publicadas 38 opiniões.


Aqui estão as 11 mais lidas de 2019 (houve um empate no 4º lugar):

. Duplo Crime [Tess Gerritsen] - 253 visualizações

. O Carrasco [Daniel Cole] - 217 visualizações

. Fantasmas da Mente [Paul Tremblay] - 114 visualizações

. O Dia em que Perdemos a Cabeça [Javier Castillo] e Segue o Coração - Não Olhes Para Trás [Lesley Pearse] - 108 visualizações

. O Retrato de Rose Madder [Stephen King] - 103 visualizações

. O Assassino do Crucifixo [Chris Carter] - 81 visualizações

. Regras para Descolagem [Carolina Paiva] - 74 visualizações

. A Célula Adormecida [Nuno Nepomuceno] - 73 visualizações

. Não Desistas [Harlan Coben] - 69 visualizações

10ª. Traz-me de Volta [B. A. Paris] - 64 visualizações

Antes de mais, notei que o número de visualizações decresceu um pouco nos primeiros lugares. É certo que com a proliferação dos vídeos, as opiniões escritas não são tão procuradas, o que não significa que não tenham qualidade. Já assisti a vídeos em que as opiniões não têm qualquer estrutura, são repetitivas e não acrescentam nada de interessante.

Uma grande parte destas opiniões foram publicadas no primeiro semestre do ano, o que significa que tiveram mais tempo para serem procuradas e naturalmente receberam mais visualizações. Contudo, há uma publicação de outubro que figura nesta lista.

Um facto curioso é que, à semelhança do ano passado, Daniel Cole mantém o 2º lugar e B. A. Paris o 10º. Lesley Pearse volta a figurar na lista, enquanto os restantes autores são estreantes.

Enquanto em 2018 as opiniões eram muito diversificadas, este ano a lista engloba principalmente policiais, thrillers e terror, o que até ilustra bem o meu ano de leituras.

Excetuando dois livros que não me cativaram (do Javier Castillo e da Carolina Paiva), todos os outros são excelentes leituras.

Por fim, parabéns aos dois autores portugueses - Nuno Nepomuceno e Carolina Paiva - que conquistaram um lugar nesta lista!

domingo, 29 de dezembro de 2019

Desafio Só ler PT - 2019 [Balanço Final]


Este desafio foi criado pela Andreia Ferreira, com o intuito de dar a conhecer e incentivar e leitura de obras de autores portugueses.

O objetivo era ler, pelo menos, um livro de um autor português por mês.

Este foi talvez o desafio que melhor me correu ao longo deste ano. Portei-me muito bem até julho e apenas não li nenhum livro em agosto e novembro. Acabei o ano muito bem acompanhada, com dois autores portugueses num único mês!
Acho importante aderir a este tipo de desafios ou, pelo menos, investir nos autores nacionais. Há boas histórias e bons autores que valem mesmo a pena descobrir.

Abaixo deixo a lista com todos os livros lidos para este desafio e respetivas opiniões.

Janeiro: A Célula Adormecida [Nuno Nepomuceno]
Fevereiro: Regras para Descolagem [Carolina Paiva]
Março: O Enigma do Castelo Assombrado [Ana Nunes]
Abril: O Segredo da Cascata dos Murmúrios [Ana Nunes]
Maio: Uma Mulher Respeitável [Célia Correia Loureiro]
Junho: Pecados Santos [Nuno Nepomuceno]
Julho: Demência [Célia Correia Loureiro]
Agosto
Setembro: Steampunk Internacional [Vários autores, incluindo Anton Stark, Diana Pinguicha e Pedro Cipriano] - Antologia
Outubro: Como Publicar o Seu Livro [Rita Canas Mendes] e O Conto da Ilha Desconhecida [José Saramago]
Novembro
Dezembro: A Última Ceia [Nuno Nepomuceno] e A Rapariga que Veio do Frio [Gilberto Pinto]

sábado, 28 de dezembro de 2019

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Os motivos]


Após alguns meses de atraso (porque demorei mais tempo do que o habitual a ler o livro da Silvana), já seguiu um novo livro para casa dela.

Este foi o livro escolhido:


Motivos da minha escolha:

Precisava de escolher um livro que não fosse muito pesado e que me coubesse na mala, tendo em conta que ia fazer uma visita aos CTT mas já levava demasiado peso. Assim, de imediato me lembrei da Tess Gerritsen e de permitir que a Silvana continue a leitura desta excelente série.

Espero que gostes, Silvana!

Desafio de leitura Manta de Histórias 2019 [Balanço Final]

Creio que este é um desafio bastante conhecido e com muitas participações nas redes sociais. É organizado pela autora do blogue Manta de Histórias e consiste em ler um livro para cada uma das 32 categorias.

No ano passado consegui preencher 25 categorias. Este ano fiquei-me apenas pelas 18, ou seja, pouco mais de metade. Não sei muito bem o que aconteceu, talvez me tenha desinteressado um pouco ou simplesmente os livros que li não encaixavam facilmente nas categorias.

A verdade é que não gosto muito de me prender por desafios. Costumo principalmente ler livros da minha estante ou livros emprestados e acaba por acontecer que esses livros não encaixam no desafio. Não é minha intenção comprar livros propositadamente para o desafio e, por essa razão, acabei por riscar menos categorias.

Abaixo deixo a lista com todos os livros lidos para o desafio e respetivas opiniões.



Um livro de não-ficção

Um clássico

Livro com um título longo

Um calhamaço (+ 600 pág.): Segue o Coração - Não Olhes Para Trás [Lesley Pearse]

Livro com um número no título

Uma trilogia

Autor português nunca lido: Regras para Descolagem [Carolina Paiva]

Autor/a favorito/a português: A Última Ceia [Nuno Nepomuceno]

Qualquer livro à tua escolha: Fantasmas da Mente [Paul Tremblay]

Livro escrito por dois autores

Livro com o nome de uma cidade no título: A Sereia de Brighton [Dorothy Koomson]

Livro que escolhes pela capa

Um ebook

Um YA (jovem adulto): A Ilusão de Merit [Colleen Hoover]

Livro vencedor Goodreads Choice Awards 2018

Livro há muitos anos na estante: A Última Vez que a Viram [Harlan Coben]

Um romance: Acordo com o Marquês [Sarah MacLean]

Um livro sobre a II Guerra Mundial

Um policial: Duplo Crime [Tess Gerritsen]

Um livro cuja ação tem lugar em Portugal: A Célula Adormecida [Nuno Nepomuceno]

Um livro de capa vermelha

Um thriller: Traz-me de Volta [B. A. Paris]

Protagonista é um homem: A Metade Sombria [Stephen King]

Livro de poesia

Livro com o nome de um animal do título

Livro infantil

Livro escrito por uma mulher: O Enigma do Castelo Assombrado [Ana Nunes]

Livro que tenha no título a palavra livro/livros: Como Publicar o Seu Livro [Rita Canas Mendes]

Livro emprestado: O Retrato de Rose Madder [Stephen King]

Livro publicado em 2018: Pecados Santos [Nuno Nepomuceno]

Livro de um autor que gostes muito e que ainda não tenhas lido: Desaparecidas [Tess Gerritsen]

Uma novidade: O Dia em que Perdemos a Cabeça [Javier Castillo]

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Desafio Book Bingo Cards 2019 [Balanço Final]

Com a aproximação dos últimos dias do ano, tenho sempre por hábito fazer um balanço dos desafios literários em que decidi participar no início do ano.


Este desafio foi criado pela Silvana, do blogue Por detrás das palavras, e foi inspirado nos bingos literários.

Ela criou 3 cartões alusivos a diferentes temáticas.
Eu decidi participar no Cartão 1, a completar com livros que estejam na nossa estante.

Consegui preencher exatamente metade das categorias, ou seja, oito. Sei que li mais do que esse número de livros da minha estante, apenas alguns deles não se encaixavam em nenhuma das categorias.
Acho que foi um resultado satisfatório; é sempre bom quando conseguimos dar atenção aos livros negligenciados da nossa estante.

Abaixo deixo a lista com todos os livros lidos para este desafio e respetivas opiniões.

Categorias: 

Livro esquecido: Um livro que já esteja há mais de dois anos na vossa estante;
Presente de Natal: Um livro que tenha sido uma prenda de Natal;
Uma velha compra: Um livro que tenham comprado há mais de dois anos - A Última Vez que a Viram [Harlan Coben]
Calhamaço: Um livro com mais de 400 páginas - A Célula Adormecida [Nuno Nepomuceno]
Clássico: Um livro que seja um clássico da literatura;
Troca: Um livro que chegou à vossa estante através de uma troca;
O meu autor preferido: Um livro do vosso escritor(a) de eleição - Invasão de Privacidade [Harlan Coben]
A compra mais recente: O último livro que compraram - O Enigma do Castelo Assombrado [Ana Nunes]
Escritora: Um livro escrito por uma mulher - Desaparecidas [Tess Gerritsen]
Escritor: Um livro escrito por um homem - Fantasmas da Mente [Paul Tremblay]
Um livro que pertence a uma série - Duplo Crime [Tess Gerritsen]
Prenda de aniversário: Um livro que tenham recebido como prenda de aniversário;
Indesejado: Um livro pelo qual tenham perdido o interesse;
O livro mais pequeno: O livro com menos páginas da vossa estante que ainda não leram;
Infantil: Um livro recomendado para os mais pequenos;
Um livro que quero trocar: Um livro que vocês achem que após a leitura terá como destino a troca. - O Dia em que Perdemos a Cabeça [Javier Castillo]

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

"A Última Ceia" de Nuno Nepomuceno [Opinião]


Este ano li três livros do Nuno Nepomuceno. Queria lê-los por ordem de publicação antes de pegar no A Última Ceia, que foi publicado no mês de janeiro.

Os livros não precisam necessariamente de ser lidos por ordem, uma vez que as histórias são independentes e não estamos perante nenhuma série. Contudo, o aparecimento do Professor Catalão é algo transversal a todos os livros desde A Célula Adormecida e, como é natural, a vida do professor vai evoluindo e é interessante acompanhar essas mudanças desde o início.
Este livro apresenta uns pequenos spoilers do que aconteceu no final de Pecados Santos e é só por esta razão que recomendo que sejam lidos por ordem.

A Última Ceia apresenta um registo um pouco diferente do que aquilo a que o autor nos tem habituado. Ele aventurou-se no roubo de um quadro, mais precisamente A Última Ceia, de Giampietrino, uma cópia do original de Leonardo Da Vinci.

Conhecemos Sofia Conti, uma jovem mulher que se apaixona por um carismático milionário que poderá ser um ladrão de obras de arte. Quando, mais tarde, ela é abordada por um antigo professor, percebe que acabou de ser colocada perante um dilema: deverá denunciar o homem com quem vai casar-se ou tornar-se cúmplice dele?

Gostei muito de conhecer estas novas personagens que o Nuno criou, especialmente Giancarlo, de quem gostava de ter visto um pouquinho mais, confesso.
A intervenção de Afonso Catalão foi mais pequena desta vez, mas não deixou de ser muito bom reencontrar esta personagem.


A ação decorre entre Londres e Milão, com hábeis descrições que nos transportam para cada um dos locais por onde as personagens se movimentam.
Quando li Pecados Santos, senti que o livro não me provocou aquela vontade de o ler compulsivamente. Neste novo thriller do autor, o caso mudou de figura. A história entusiasmou-me muito mais e as últimas 100 páginas foram praticamente lidas de uma só vez, tal era a minha ânsia em descobrir como terminava esta história.

Dou os parabéns ao autor pelas reviravoltas que criou no final e que me deixaram boquiaberta. A verdade é que fomos todos enganados, a história prometia um determinado desfecho, porém, acabou por acontecer algo que ninguém estava a prever. Eu, pelo menos, não previ, uma vez que o autor se esforçou em captar a nossa atenção para outros pormenores.

Não posso esquecer-me de mencionar que adorei as referências que o autor introduziu aos seus anteriores livros, tal como já vem sendo hábito. É muito engraçado encontrar estas brincadeiras do autor!

Em conclusão, penso que talvez este tenha sido o livro de que mais gostei. Nota-se o trabalho de pesquisa do autor, a dedicação e esforço que coloca em todo o livro e o cuidado na escrita. Não me apercebi de grandes gralhas ou erros de revisão, pelo que também encontramos aqui um bom trabalho por parte da equipa da Cultura Editora.

Uma leitura a não perder! Apoiem os autores portugueses! E esta opinião vem mesmo a calhar, dado que o Nuno já apresentou o seu novo thriller, que será lançado em janeiro de 2020.

Classificação: 4/5 estrelas

WOOK devolve 50%

A azáfama do Natal já passou, mas a WOOK ainda tem presentes para nós.

Hoje e amanhã vão devolver 50% do valor que gastarmos em livros, o que para mim é ótimo pois ainda quero comprar um livro e estava à espera de uma oportunidade como esta.

Quem mais vai aproveitar?

devolucao-50-mrec

Cliquem na imagem e escolham os vossos livros!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Mensagem de Natal


Desejo um Feliz Natal a todos os leitores, amigos e seguidores que me acompanham diariamente e que continuam a apreciar o que eu escrevo, bem como a todas as editoras parceiras que continuam a dar-me oportunidade de ler algumas novidades e partilhá-las com os leitores.
Espero que partilhem esta quadra com todos aqueles que vos são queridos e que a magia do Natal preencha os vossos corações.

Desejo-vos igualmente um excelente ano de 2020, com saúde, amor, sucesso, realização a todos e níveis e, claro, que não vos faltem bons livros para ler!

Festas Felizes para todos!

domingo, 22 de dezembro de 2019

"Watching You" de Gemma Halliday [Opinião]


Descobri esta autora na Smashwords e decidi dar uma oportunidade a este conto que ela disponibiliza gratuitamente. Também me faz bem ler em inglês e, de vez em quando, gosto de praticar.

A sinopse chamou-me a atenção. Dá-nos a conhecer Isabella, uma mulher que está a ser observada a quase todas as horas do dia. Ela nada sabe sobre esse perseguidor que não tira os olhos de cima dela. Estará em perigo?

A ideia é muito interessante e foi isso que me levou a querer ler o conto. A autora cria um clima de suspense que prende o leitor e achei um pouco perturbador, à medida que acompanhava todos os movimentos e pensamentos do perseguidor.

Não sabia bem o que esperar para o final mas acabei por ser surpreendida pela negativa. Fiquei tão desgostosa com aquela reviravolta que me senti imediatamente frustrada com a leitura. Li algumas opiniões em que os leitores adoraram aquele twist mas eu senti exatamente o contrário! E por esta razão é que acabei por lhe dar uma classificação mais baixa, uma vez que considero que o final é bastante importante nos contos.

Contudo, se tiverem oportunidade, leiam o conto; a parte inicial vale a pena.

Classificação: 2/5 estrelas

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Palavras Sentidas


"As canções tristes são uma dor segura. Uma distracção. Está controlada. E talvez nos ajude a imaginar que a dor verdadeira vai ser assim. Mas não é. Não nos podemos preparar para a dor verdadeira. Temos de deixar que ela nos estraçalhe."

Invasão de Privacidade
Harlan Coben

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Terminei há já algum tempo a leitura de O Filho de Thor e aqui está o desafio proposto pela Silvana.

DESAFIO:

Um artigo para o jornal

Assim que souberam que gostavas de fantasia e dos livros de Juliet Marillier, os editores de uma revista de literatura convidaram-te a escrever um artigo sobre a autora, a fantasia e a experiência de ler os livros dela.

A MINHA RESPOSTA:

Juliet Marillier nasceu a 27 de julho de 1948, em Dunedin, Nova Zelândia, uma cidade com fortes tradições escocesas que influenciaram o seu percurso enquanto escritora. Licenciou-se em Linguística e Música e trabalhou no ramo do ensino e em agências governamentais, antes de se tornar escritora a tempo inteiro.
Os seus romances internacionalmente conhecidos combinam ficção histórica, fantasia, folclore, romance e dramas familiares.
O seu trabalho mais conhecido é a Saga Sevenwaters. Em Portugal estão igualmente publicadas a Saga das Ilhas Brilhantes, as Crónicas de Bridei, a Série Wildwood, a Trilogia Shadowfell e a Blackthorn & Grim.
Ler Juliet Marillier é encontrar mundos complexos, intrigas surpreendentes e personagens inesquecíveis. É sentir um fascínio imenso pelos inúmeros pormenores e descrições que caracterizam as suas narrativas. É ficar a ler horas e horas sem, no entanto, se dar pela passagem do tempo. É chegar ao fim com pena de ter terminado e ter a certeza de que aquela é mais uma história que perdurará na nossa memória.
De que estás à espera para ler Juliet Marillier?

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Palavras Sentidas


"― Não me entendas mal ― disse ela. ― Eu também gosto de ler. Mas não digo a ninguém.
Até que enfim, pensei, uma pessoa que diz a verdade. Perguntei-lhe por que não dizia ela nada a ninguém.
― Não sei. As pessoas que leem, escondem-se. Escondem quem são. E as pessoas que se escondem nem sempre gostam daquilo que são."

Chama-me pelo Teu Nome
André Aciman

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

"O Filho de Thor" de Juliet Marillier [Opinião]


Esta é a minha segunda experiência com as obras de Juliet Marillier depois de ter lido, há dois anos, Danças na Floresta.

Consigo encontrar diversas diferenças entre esse livro e este - O Filho de Thor - que dá início à Saga das Ilhas Brilhantes.

Logo desde o início dá para perceber que este é um romance mais duro, com uma aura mais sombria.
Segundo a nota da autora, ela explica que se inspirou nas Ilhas Órcades e no guerreiro do seu tempo, o berserk, um guerreiro nórdico feroz que prestava vassalagem ao deus Odin.
Neste romance, contudo, os guerreiros que a autora criou - os Pele-de-Lobo - prestam vassalagem a Thor, um deus de natureza mais honesta.

Este romance conta então a história de dois rapazes que se tornam irmãos de sangue devido a um juramento que fazem na infância. Eyvind deseja tornar-se um grande Pele-de-Lobo e servir Thor no campo de batalha. Somerled é um rapaz estranho, mas muito inteligente, que deseja vir a tornar-se rei. Juntos, vão viajar até às Ilhas Brilhantes, onde um acontecimento trágico mudará para sempre as suas vidas.

O Filho de Thor oferece-nos uma história incrível, recheada de tantos pormenores, que se torna mesmo necessário dedicar ao livro o tempo que ele merece. A escrita da autora é bastante descritiva, muitas vezes densa, daí que este não seja um daqueles livros de devorar numa tarde. Eu demorei um mês a lê-lo e, ao contrário de outros livros que ao fim de algum tempo começam a cansar, adorei descobrir cada pormenor desta história repleta de misticismo e magia.

Como referi acima, este livro apresenta uma aura sombria, que começa com os guerreiros viquingues e com a sua natureza violenta e sede de sangue. Porém, assim que as nossas personagens desembarcam nas Ilhas Brilhantes, há algo poderoso que nos agarra ainda mais a esta história. Há acontecimentos dramáticos e cruéis que nos deixam de coração nas mãos, mas existe também a esperança de que se faça justiça para as personagens.

Eyvind é uma personagem fascinante e adorei acompanhar o seu crescimento e desenvolvimento, desde o seu desejo de tornar-se um Pele-de-Lobo, a sua sede pelas batalhas, até ao momento em que descobre que uma vida tem afinal muito mais valor. Por sua vez, Somerled provocou-me sentimentos muito confusos, desde uma certa admiração ao ódio.
Nessa é igualmente uma personagem forte, querida e muito ligada à natureza.
Todas as personagens secundárias estão igualmente bem construídas e conseguem destacar-se de alguma forma.

Em suma, esta é uma história realmente boa e habilmente contada. Estou mesmo desejosa de ler o outro volume da saga - A Máscara da Raposa - e, desta forma, poder voltar a embrenhar-me neste mundo fantástico que a autora construiu.

Classificação: 4/5 estrelas

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Palavras Sentidas


"Consegue ver-se tudo nos olhos de uma pessoa: as qualidades, os defeitos, a dor, as verdades e as mentiras. E a outra pessoa consegue ver o mesmo em nós."

Conta-me o Teu Segredo
Dorothy Koomson

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

"A Rapariga no Gelo" de Robert Bryndza [Opinião]


Este livro foi-me emprestado pela minha melhor amiga, que desde logo que me deixou bastante entusiasmada. Já tinha ouvido falar imenso deste autor nas redes sociais e creio que estão publicados em Portugal seis livros dele, tendo o sétimo saído muito recentemente.

Houve um grande hype em torno desta obra e eu também quis perceber o que tinha ela de tão especial. No entanto, devido a algumas más experiências, tenho tendência a ficar um pouco de pé atrás em relação a estes livros que recebem imensa publicidade.

Agora que terminei a leitura, tenho de dizer com sinceridade que não encontrei nada de especial, nada de verdadeiramente impactante neste romance policial que justifique todo o hype em torno dele.

A capa é realmente chamativa, o que é uma grande ajuda para despertar a curiosidade do leitor. Apenas não faz sentido num pequeno pormenor: vemos um olho fechado quando, ao longo da narrativa, é várias vezes referido que a personagem assassinada tem os olhos abertos, como se quisesse dizer alguma coisa.

O livro inicia-se com um homicídio logo no prólogo, que será o ponto de partida da investigação que iremos encontrar. Erika Foster é a inspetora escolhida para liderar a investigação. Enquanto lida com os seus próprios dramas pessoais, Erika vai precisar de muita determinação para enfrentar todas as dificuldades que lhe surgem.
A vítima é uma jovem rica da alta sociedade londrina, pelo que a investigação vai ser condicionada por esta família influente que faz tudo para que a inspetora não se intrometa demasiado na sua vida.

Ao longo da leitura, encontrei imensos clichés que me desconcertaram e me provocaram irritação. Quase todas as personagens femininas são caracterizadas como tendo "seios grandes", a personagem principal tem de lutar contra a discriminação por parte dos seus colegas masculinos e há momentos em que determinadas personagens e pistas aparecem no momento certo, tornando certas partes da narrativa um pouco forçadas.


Confesso que embirrei com pormenores que possivelmente passam despercebidos à maior parte dos leitores mas, como leitora ávida que sou, sinto que me tenho tornado mais crítica e exigente em relação ao que leio. Além disso, tenho feito alguns trabalhos de revisão de texto, o que me tem treinado a estar mais atenta aos pormenores.

Um aspeto que achei interessante foi o facto de o autor ter introduzido dois casais homossexuais na sua narrativa. Isto mostra uma grande abertura em abordar um tema que aparece pouco neste tipo de livros, contudo, ao mesmo tempo, a personagem principal farta-se de ser discriminada no trabalho só porque é mulher.

Apesar dos aspetos mais clichés, tenho de concordar que o livro tem velocidade, dinamismo e que serve perfeitamente para entreter durante uma tarde. Os capítulos pequeninos (que resultam muito bem neste género literário) tornam a leitura viciante. A escrita do autor é fresca, sem descrições demasiado maçudas, e por isso lê-se muito bem.

Tal como referi acima, a história não é impactante e não traz nada de novo que justifique ter-se tornado num fenómeno literário. Tenho esperanças de que o autor possa ter evoluído nos romances seguintes que escreveu, pelo que irei certamente dar-lhe uma nova oportunidade.

Classificação: 3/5 estrelas