sábado, 31 de agosto de 2019

"O Clube Mefisto" de Tess Gerritsen [Opinião]


Tess Gerritsen é sempre uma autora segura quando não sei o que ler ou quando terminei um livro muito bom e tenho medo que me estrague a leitura seguinte. Foi o que aconteceu desta vez. Após ter terminado o excelente policial de Chris Carter, precisei de um livro com uma escrita e personagens já familiares, de forma a entrar bem na leitura.

Estou a gostar imenso de acompanhar a detetive Jane Rizzoli e a doutora Maura Isles e este é já o sexto livro da série.

O livro anterior - Desaparecidas - tornou-se o meu preferido da série e sei que vai ser um bocadinho difícil outro livro mostrar-se ainda melhor. A história centrou-se bastante em Jane e na sua aventura pela maternidade.

O presente livro já não dá tanto destaque à vida das personagens, centrando-se principalmente na investigação policial de um novo crime.
Estamos na altura do Natal e uma jovem aparece brutalmente assassinada. A vítima está ligada à psiquiatra Joyce O'Donnell, que é também membro de uma sociedade secreta: o Clube Mefisto.

Uma vez que este Clube se dedica à análise do Mal, a narrativa acaba por se debruçar por temáticas relacionadas. Será que os demónios deambulam pela Terra? Poderá o Mal ser explicado pela ciência?

À medida que este caso se vai tornando mais sinistro, os investigadores começam até a recear o próprio objeto de estudo.

A par da investigação, temos ainda alguns desenvolvimentos na vida amorosa de Maura, enquanto Jane se vê no meio de um problema no casamento dos seus pais.

Este é um bom livro para quem procura uma história de investigação e de caça ao assassino, não sendo, contudo, tão bom como o anterior.
É uma série e uma autora que merecem toda a atenção!

Classificação: 4/5 estrelas

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

"O Assassino do Crucifixo" de Chris Carter [Opinião]


Fiquei fã deste autor após ter lido, no ano passado, O Escultor da Morte. Apesar de ter começado pelo quarto volume da série, fiquei com vontade de ler todos os seus livros, pelo que comecei a procurar promoções para adquirir os livros que ainda não tinha.

Atirei-me de cabeça ao primeiro livro da série de Robert Hunter - O Assassino do Crucifixo - onde temos um primeiro contacto com o detetive Hunter e de como ele começou a trabalhar com o seu novo parceiro, Carlos Garcia.

Os dois capítulos iniciais apresentam-nos uma situação de perigo de morte e uma escolha difícil para Hunter. Fez-me lembrar os filmes do Jigsaw e os tenebrosos jogos mortais que ele fazia, pelo que fiquei imediatamente agarrada.

Posteriormente, com a nossas personagens numa situação tão perigosa, o livro recua para cinco semanas antes, altura em que tudo começou.
Uma vítima é encontrada nua e presa pelos braços, tendo sido torturada até à morte. No seu corpo foi entalhada uma cruz: a assinatura de um psicopata conhecido como O Assassino do Crucifixo. Mas como é isto possível se ele foi condenado e executado dois anos antes?

Enquanto tentam perceber se este criminoso é um imitador ou se o verdadeiro assassino afinal anda à solta, Hunter e Garcia vão embarcar numa investigação violenta e perigosa, digna de um verdadeiro pesadelo.


Os capítulos pequenos resultam na perfeição neste tipo de histórias, conferindo dinamismo ao livro e fazendo com que se torne impossível largá-lo.
A autor já trabalhou vários anos como psicólogo criminal pelo que os seus romances se baseiam na sua experiência com criminosos. Gosto imenso da forma como o autor vai explicando a psicologia do comportamento criminal ao longo do livro, sem se tornar monótono. Também aprendi algumas técnicas de como detetar mentiras.

Robert Hunter é um personagem deveras intrigante que, embora pareça descontraído, esconde muitos fantasmas. Ainda há muito dele por descobrir.
Também gostei de conhecer Garcia mas senti que faltou ali qualquer coisa. Não sei muito bem explicar porquê mas parece que passei o livro a esperar mais dele, apesar de ter gostado da forma como ele e Hunter funcionavam.

A descoberta da identidade do assassino deixou-me completamente boquiaberta. Ao longo da narrativa, queremos mais rapidamente descobrir o porquê e as suas motivações do que propriamente quem é a pessoa por detrás de crimes tão macabros. Contudo, quando finalmente foi revelado, fiquei sem palavras. Não posso mesmo dizer mais nada para não vos dar spoilers mas, uau, ADOREI!

Este é um autor imperdível para os fãs de thrillers e policiais. Se gostam de livros negros e violentos, então vão certamente adorar!

Classificação: 5/5 estrelas

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Palavras Sentidas


"A solidão do apartamento de Hunter era avassaladora. Ao abrir a porta e acender as luzes, ele interrogou-se sobre como seria regressar a casa e ter ali uma pessoa que se preocupasse, uma pessoa que o fizesse ter esperança de que a vida não era uma caminhada até ao inferno."

O Assassino do Crucifixo
Chris Carter

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Os motivos]


O projeto conjunto que mantenho com a Silvana tem decorrido com mais rapidez neste mês de agosto, por isso um novo livrinho já chegou a casa dela.

Desta vez, ela quis que eu arriscasse mais e lhe enviasse algo fora da sua zona de conforto, algo que fosse mais desafiante. Ora, sair da sua zona de conforto implica escolher um livro dentro dos géneros de fantasia, ficção científica ou terror, que são assim os livros com os quais ela costuma ter menos afinidade.

Assim, a minha escolha foi esta:


Cinder é um re-telling do conto clássico da Cinderela, mas passado num mundo futurista onde existem robots, andróides e cyborgs. Eu achei muito original e fiquei fã da autora e desta série.

Não faço a mais pequena ideia se a Silvana irá gostar mas tenho alguma esperança de que ela encontre neste livro algo que a cative.
Este desafio também serve para isso mesmo, para nos desafiarmos uma à outra.

Silvana, fico a torcer para que não seja de todo um livro desagradável!

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

"Acordo com o Marquês" de Sarah MacLean [Opinião]


Sabem quando andam de volta de leituras mais densas e cansativas e, a certa altura, vos apetece um livro leve, divertido e relaxante?

Acordo com o Marquês chegou às minhas mãos quando eu me sentia exatamente assim. Este ano ainda não tinha lido nenhum romance de época e, embora eu ande mais numa fase de thrillers, de vez em quando sabe bem ler uma história mais romântica.

Este livro tem uma capa linda e bem sensual. A edição interior também está muito bonita, pelo que a Topseller está de parabéns pelo resultado final.

Neste romance conhecemos Sophie Talbot, uma jovem que chegou à aristocracia de uma forma pouco comum. Infelizmente, ela odeia a sociedade e tudo o que lhe diz respeito e o seu maior desejo é ser livre.
Rei é o Marquês de Eversley, um verdadeiro e escandaloso aristocrata que arruina a reputação das jovens da sociedade.

Ambos se vão conhecer em circunstâncias especiais e, embora se odeiem e pouco tenham em comum, os seus objetivos e a forma como vêem a sociedade acabam por aproximá-los.



A escrita da autora é bastante cativante e o livro oferece-nos diálogos intensos e repletos de humor. Os conflitos entre os dois protagonistas são constantes, assim como a tensão sexual, que vai aumentando de capítulo para capítulo. Isto é o que eu mais gosto neste tipo de livros!
Desta forma, o livro acaba por ter muito dinamismo e reviravoltas interessantes.

Gostei muito do Rei, uma personagem que não é assim tão canalha como parece à primeira vista. Na verdade, tem princípios e um coração de ouro que apenas está muito magoado com uma história dramática do seu passado.

No geral, esta é uma leitura divertida e romântica que conquista desde as primeiras páginas e que provocará uma avalanche de sentimentos no leitor. Recomendadíssimo para fãs de romances de época!

Esta série tem mais dois livros já publicados em Portugal. Felizmente, não são sobre as irmãs de Sophie (que me pareceram muito fúteis e pouco interessantes), mas sim sobre o escocês Warnick e o Duque de Haven. Estes sim, despertam-me curiosidade!

Classificação: 4/5 estrelas

Palavras Sentidas


"Aprendera cedo que o ser humano não era apenas bom ou somente mau, mas sim uma mescla que implicava que, quem com ele lidava, tivesse de compreender as ocasiões em que cada um desses lados emergia."

Demência
Célia Correia Loureiro

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Após terminar a leitura do livro Acordo com o Marquês, venho responder ao desafio que a Silvana me propôs.

DESAFIO:

A Herança

Sophie conseguiu a sua tão desejada livraria. Dedicou-se de corpo e alma e tornou-a num espaço de sucesso que passou de geração em geração… Até chegar a ti!

O espaço tem estado um pouco apagado nos últimos anos, precisa de ideias novas e de se modernizar de forma a chegar a novos leitores. Quais são os teus planos para esta livraria?
Não te esqueças de nos dizer o nome.

A MINHA RESPOSTA:

A livraria de Sophie prosperou durante muitos anos, trazendo alegria e cultura a todos os seus visitantes.
Agora chegou até mim e mal posso esperar por pôr em prática as minhas ideias.

Vai receber um novo nome, mais moderno e atual: Books & Joy. Este nome representa a alma desta livraria e tudo o que ela pretende oferecer às pessoas: livros e alegria.
No dia em que a livraria passou para as minha mãos, resgatei uma gatinha preta que encontrei abandonada numa rua ali perto. Decidi nesse mesmo instante que aquela gatinha se chamaria Joy e seria a mascote da livraria. Afinal, os gatos e os livros combinam na perfeição!

Em relação a novas ideias para dinamizar a livraria e atrair leitores e clientes, aqui estão algumas delas:
- cabazes temáticos em épocas especiais: Natal, férias de verão, dia da mãe, dia da criança... Estes cabazes incluirão livros e alguns brindes como marcadores de páginas, blocos de notas ou chocolates.
- sessões de autógrafos. Haverá uma por mês e procurarei dar destaque a novos e autores do panorama português.
- clube de leitura. Ocorrerá também uma vez por mês e tem como objetivo fomentar a leitura e a discussão das temáticas dos livros escolhidos.
- hora do conto. Todas as semanas, ao sábado, teremos a leitura de um conto infantil para um grupo de crianças. Com isto, pretendo criar nas crianças o gosto pelos livros e pelas histórias.

E são estas algumas das ideias para a nova e moderna livraria. Será que vai ter sucesso?

Achei este desafio muito interessante porque me permitiu dar asas à criatividade e imaginar a livraria dos meus sonhos. Obrigada Silvana!

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Palavras Sentidas


"Os livros eram aventuras encadernadas em couro, com páginas e mais páginas de mundos distantes, pessoas e ensinamentos notáveis; felicidade simples e honesta."

Acordo com o Marquês
Sarah MacLean

terça-feira, 13 de agosto de 2019

"Demência" de Célia Correia Loureiro [Opinião]


Tive oportunidade de ler o Demência graças à iniciativa Demência... on the Road!, organizada pela Silvéria (The Fond Reader) e pela Cristina (Linked Books). Elas propuseram-se a deixar o Demência percorrer o país, de casa em casa, de um leitor para outro, para que esta história pudesse chegar a mais leitores.

E foi assim que esta edição da Coolbooks chegou até mim. Obrigada Silvéria e Cristina por este generoso empréstimo!

Em 2013, já tinha lido o Demência pela primeira vez, na edição da Alfarroba, cuja opinião pode ser lida aqui. Seis anos depois voltei a mergulhar nesta história, da qual já pouco me lembrava. Talvez por este motivo, foi como se estivesse a descobrir este livro pela primeira vez.

No início, custou-me um pouco a entrar no espírito do livro, mas esse é um problema que tenho tido com quase todos os livros atualmente. Ao fim de alguns dias, a leitura começou a avançar a um ritmo bem melhor e dei por mim agarrada à história. Embora o livro não seja muito rápido em ação, consegue prender-nos, transportar-nos para dentro destas páginas.


Demência foi publicado pela primeira vez em 2011, contudo continua a ser um livro muito atual, uma vez que retrata os temas da violência doméstica e da demência. Todos os dias ouvimos na televisão histórias de mulheres que morrem às mãos dos maridos ou dos ex-companheiros, por isso é impossível olhar para esses números, conhecer os casos e permanecer indiferente.

A história de Letícia é bastante dramática e, neste livro, conhecemos a sua vida depois de tudo ter acontecido. Ela ainda se encontra muito fragilizada pelo que vivenciou e o facto de regressar à aldeia onde vive a sua sogra não vai atenuar as suas dificuldades.

Este livro fez-me sentir revoltada e angustiada. Como pode uma mulher ser tão criticada porque se defendeu do marido que lhe batia? Como é que ainda se defende tanto um agressor? Embora esta história se passe num ambiente rural, acredito que muita desta mentalidade ainda está presente na nossa sociedade nos dias de hoje.

A escrita da Célia é única e cuidada e os seus livros merecem absolutamente serem lidos. Vou terminar com o que escrevi há seis anos na minha opinião: esta é uma história sobre amor incondicional e sobrevivência, sobre amizade e perdão, sobre coragem e fé nas segundas oportunidades. 


Por fim, nesta foto pode ver-se o Log Book que foi feito especialmente para os leitores que estão a participar nesta iniciativa. O caderninho é da autoria da Mafalda Fernandes, do Nuts for Paper. Aqui ficam os links para o seu blogue e instagram. Vão visitar os trabalhos dela!

Classificação: 4/5 estrelas

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Palavras Sentidas


"Era bem melhor estar sozinha, podendo ser ela própria, sem ter de se fazer de forte, sem ter de virar o rosto a quem procurava a verdade nos seus olhos, sem ter de responder a requerimentos mudos."

Demência
Célia Correia Loureiro

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Livro Recebido]


Já recebi um novo livro da Silvana para dar continuidade ao nosso projeto conjunto.

Desta vez, ela fez uma coisa diferente. Criou uma lista de vários livros e abriu uma votação para que coubesse aos seus seguidores a escolha do livro que me iria enviar.

No final, contabilizou os votos e eis o livro vencedor que recebi na minha caixa de correio:


Fiquei muito contente, uma vez que era exatamente este o livro que eu queria, de todos os que constavam na lista. As minhas leituras têm andado a passo de caracol e ando com vontade de algo diferente. Há bastante tempo que não leio um romance de época, por isso este veio mesmo a calhar.

Espero que seja uma boa leitura.
Obrigada Silvana!

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Aquisições: Julho

Mais um mês chegou ao fim e agora é o momento de fazer o balanço das aquisições literárias.
Devo confessar que este ano está a ser melhor a nível de aquisições do que de leituras. Tenho andado a ler mesmo muito pouco.

Vamos então ver o que chegou cá a casa?

- Logo no início do mês, recebi o livro da Dorothy Koomson, uma excelente leitura cuja opinião já se encontra no blog.
Neste momento, estou a ler o Demência, que chegou a meio do mês.
Por fim, recebi da melhor amiga mais um livro de Stephen King. Infelizmente, apercebi-me que esta é uma versão em brasileiro, algo que não gosto muito de ler mas, mesmo assim, tenciono dar uma oportunidade e ver se não me causa confusão.

EMPRÉSTIMOS


- Este mês visitei a Feira do Livro de Viana do Castelo, bastante mais pequena em comparação com anos anteriores, e trouxe apenas um livro comigo. Curiosamente, é um livro que encontro com frequência quando visito alfarrabistas, por isso achei que era este ano que devia trazê-lo comigo.

FEIRA DO LIVRO


E quanto a vocês, como correu o vosso mês em termos de aquisições literárias?