segunda-feira, 20 de outubro de 2014

"A Imagem" de Joel G. Gomes [Opinião]

Antes de mais, quero agradecer ao autor por me ter disponibilizado o livro em formato ebook para eu ler. Foi assim que conheci o autor Joel G. Gomes e que contactei pela primeira vez com um dos seus trabalhos.

A Imagem  é o segundo romance do autor e trata-se da sequela de Um Cappuccino Vermelho, ambos pertencentes à série intitulada Intersecção.
Este romance inicia-se com a apresentação de Lucas, que vive preso à sua rotina e que vive com medo que o menor deslize atraia atenções indesejadas, tanto para si como para os segredos que esconde. Um dia, vê uma imagem aparecer do nada e, embora seja uma imagem bizarra, o que mais o inquieta é o que ela representa. É aqui que a vida rotineira de Lucas vai mudar completamente pois enquanto existirem perguntas sem resposta, ele não conseguirá ter paz.

A primeira impressão que tive ao iniciar esta leitura foi que existiam demasiadas personagens, o que me deixou bastante confusa enquanto lia os primeiros capítulos. Rapidamente percebi que algumas eram personagens de Um Cappuccino Vermelho e, como eu comecei pelo segundo livro, não estava familiarizada com elas.
Apesar de neste livro o autor ir contextualizando o que aconteceu no romance anterior, eu senti que precisava de ter lido os livros pela ordem correta. É esta a recomendação que faço desde já aos leitores: se puderem e tiverem curiosidade em ler este autor, comecem por ler Um Cappuccino Vermelho e só depois A Imagem.

Ultrapassada este dificuldade inicial, comecei a prestar atenção a outros aspetos e gostaria de salientar dois que considero positivos: as descrições e o suspense. Começando pelas descrições, estas são muito reais e bastante pormenorizadas, por exemplo: uma personagem ia comprar uma bebida e uns parágrafos mais à frente, começava a bebê-la. Pode parecer demasiado pormenorizado e que não acrescenta nada de mais à história, mas esta atenção que o autor dá às ações das personagens acaba por tornar a narrativa bem interessante. Felizmente, a escrita do autor é cativante e leva-nos a querer ler sempre mais. Aqui surge o suspense, que é colocado tanto no final dos capítulos como durante os capítulos, quando o autor alterna entre as personagens.
Estas mudanças entre personagens e entre passado e presente só são confusas até conhecermos bem as personagens (já expliquei acima a dificuldade que tive); depois de nos sentirmos mais à vontade, a leitura torna-se bastante fluida.

Gostaria ainda de mencionar outros aspetos que considero menos positivos: a construção das personagens e os diálogos. Penso que o autor precisa de trabalhar e desenvolver melhor as personagens e as suas caraterísticas. A minha dificuldade com as personagens também se prendeu pelo facto de me parecerem todas semelhantes e de não haver muitos aspetos a distingui-las.
Pareceu-me também que os diálogos por vezes eram um pouco rudes, que as personagens eram mal educadas umas com as outras. Os acontecimentos do livro levavam as personagens a não se sentirem realmente muito contentes, mas eu fiquei com a sensação de que elas andavam sempre mal humoradas. Penso que os diálogos precisam de mais atenção e sensibilidade nos próximos trabalhos do autor.

No geral, posso afirmar que o balanço foi positivo e, após ponderar os vários aspetos que mencionei na minha opinião, decidi atribuir 3 estrelas a este romance do género fantástico (embora para mim se enquadre melhor no género de fantasia urbana). A ideia do autor é boa, há suspense e reviravoltas ao longo da história e apenas alguns pontos precisam de ser mais trabalhados no futuro.
Vou continuar atenta às obras do Joel G. Gomes e deixo aqui os meus votos de muito sucesso a nível profissional!

Classificação: 3/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário