quinta-feira, 31 de maio de 2018

"A Luz" de Stephen King [Opinião]


Estreei-me no género de terror/horror com o livro O Exorcista, de William Peter Blatty. Sempre foi um género literário ao qual não me dediquei tanto.
Há algumas semanas, senti necessidade de pesquisar livros de terror e foi nesse momento que fui à minha estante buscar A Luz, de Stephen King. Confesso que o livro se encontrava lá há vários anos, esquecido, e chegara o momento de o ler.

Este livro encontra-se em muitas listas dos melhores livros de terror e foi considerado pela crítica como o melhor romance de terror do século XX. Stephen King é apelidado de rei do romance psicológico de terror.
Por estas razões, as minhas expectativas eram elevadas e eu esperava realmente encontrar aqui um livro aterrorizador, capaz de me tirar o sono.

Infelizmente não foi isso que aconteceu. Logo desde o início, notei que o livro era denso, demorado de ler. Apesar dos meus esforços, não conseguia ler mais de vinte páginas por noite antes de ser vencida pelo cansaço. Apenas no final a história ganhou alguma energia e consegui avançar na leitura. Mesmo assim, o livro permaneceu duas semanas na minha mesa de cabeceira.

A história fala-nos da família Torrance - Jack, a esposa Wendy e o filho Danny - que vão morar para o Hotel Overlook, enquanto Jack aceita um trabalho como zelador de inverno. Ali, rodeados pela neve, os três rapidamente se apercebem de que não estão sozinhos no Overlook.

O início do livro explora o hotel e dá ao leitor informações acerca do passado das personagens, informações importantes para o decorrer da história.
Jack é um homem amargurado pela vida e pela forma como lidou com certos acontecimentos menos bons.
Danny é uma criança especial. Tem a luz, uma espécie de capacidade percetiva que lhe permite ver acontecimentos do passado e do futuro, ler pensamentos e saber coisas.

O hotel Overlook acaba por ser uma espécie de casa asombrada. As entidades que nele habitam querem apanhar Danny mas é Jack quem entra num estado de paranóia.

Gostava que certos pormenores tivessem sido mais desenvolvidos, como as habilidades de Danny e o quarto 217. A narrativa acabou por se centrar exageradamente em Jack.

Não houve assim momentos de terror que me tivessem tirado o sono, embora tenha encontrado bastantes cenas empolgantes. Infelizmente, o livro não despertou em mim todos esses sentimentos aterrorizadores que eu esperava encontrar.
Talvez o terror não funcione da mesma forma com todos os leitores.

Gostei imenso do final, que é bastante violento mas, terminada a leitura e decorridos alguns dias, o que sinto é uma certa indiferença em relação a esta história que não correspondeu às minhas expectativas.

Vou continuar a explorar as obras de Stephen King; certamente que encontrarei um livro que me cative.

Há algum livro de terror/horror que me recomendem?

Classificação: 3/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário