terça-feira, 29 de maio de 2018

[Televisão] "Safe" de Harlan Coben - 2018 (Opinião)


Sou uma grande apreciadora de séries, embora não costume falar deste meu hobbie aqui no blogue. Lembro-me perfeitamente que foi a série Prison Break que, há mais de dez anos, me catapultou para este imenso mundo das séries televisivas e, desde então, a minha curiosidade só tem crescido, bem como a quantidade de séries que tive oportunidade de conhecer.
Descobrir a Netflix foi mais uma perdição. Está recheada de séries de todos os géneros, sejam antigas ou acabadinhas de estrear. Atualmente, prefiro as séries com temporadas de poucos episódios, pois são mais rápidas de ver.

Vi recentemente a série Safe e resolvi falar-vos um pouco dela, dado tratar-se de uma série da autoria de Harlan Coben, um dos meus escritores preferidos de thrillers da atualidade.

A série, de apenas 8 episódios, apresenta-nos Tom Delaney, um cirurgião que perdeu a esposa há cerca de um ano. Quando a sua vida começa, por fim, a retomar a normalidade, a sua filha adolescente desaparece. Quase ao mesmo tempo, um outro jovem é encontrado morto e uma professora é acusada de ter um caso com um dos seus alunos.

É este o ponto de partida para uma corrida desenfreada em busca da sua filha desaparecida. Tal como é hábito nos livros de Harlan Coben, o passado tem uma grande importância. Por muito que se tente deixá-lo para trás, há coisas que se recusam a ficar escondidas e é um desses acontecimentos que acaba por desencadear os ações do presente.

A série decorre num condomínio fechado, que se supõe ser seguro. Porém, com a sua filha desaparecida, Tom começa a descobrir segredos não só entre os seus vizinhos, como também na sua família e nas pessoas que lhe são mais chegadas.

Assistir a esta série foi como ler um livro do autor. Há reviravoltas intermináveis, suspense, segredos e bastante drama. Rapidamente me senti presa à história e desejosa de descobrir todas as verdades.

Fiquei muito contente por ver Michael C. Hall no papel de Tom Delaney. Desde a série Dexter que não vi mais nenhum dos seus trabalhos, por isso fiquei radiante por poder vê-lo em Safe. No entanto, não consegui desligar-me completamente da personagem que ele fazia em Dexter (um serial-killer) e, talvez por isso, não me tenha sentido muito ligada a ele.

Um outro aspeto que gostava de referir é o facto da série ser inglesa, quando o próprio autor é americano e todos os enredos dos seu livros decorrem nos Estados Unidos. Penso que esta série podia perfeitamente passar-se na América, numa comunidade pequena.

No geral, é uma série com muita ação e reviravoltas surpreendentes. O final não é de arrebatar, é até bastante calmo, mas o caminho até lá, esse sim, é agitado. Se gostam de séries de crime/mistério, aqui fica uma recomendação. E aproveito, claro, para recomendar a leitura de qualquer romance do autor!

1 comentário: