terça-feira, 12 de junho de 2018

"Sorrisos Quebrados" de Sofia Silva [Opinião]


Foram várias as razões que me levaram a adquirir este livro logo após o seu lançamento: primeira, acho importante apoiar o trabalho dos autores nacionais; segunda, Sofia Silva conquistou os leitores brasileiros e teve mais de um milhão de leituras no Wattpad; e por fim, o livro foi publicado em Portugal pela Editorial Presença, uma editora que geralmente nos costuma trazer livros de qualidade.

Infelizmente, não encontrei qualidade neste livro e é por isso que esta opinião está a ser bastante difícil de escrever.
Confesso que me apaixonei pela capa do livro, que é uma das mais maravilhosas que já vi.
As minhas expectativas eram elevadas e iniciei a leitura poucos dias depois de ter recebido o livro em casa.

Sorrisos Quebrados apresenta-nos Paola, uma mulher fragilizada pela violência que sofreu no passado às mãos do homem que amava. Mas Paola decide viver e será no mais improvável dos lugares que irá descobrir que é possível voltar a amar.

O prólogo do livro está bastante bem conseguido, na medida em que prende de imediato o leitor. São páginas de grande violência, aflitivas e arrepiantes.

Logo desde o início nota-se que a escrita da autora é bastante simples, mas a mim pareceu-me simples de mais e pouco caprichada. Encontrei várias frases com problemas de sintaxe e que não teriam perdido se fossem melhoradas ou modificadas. Encontrei palavras escritas em português do Brasil, o que me fez acreditar que este livro não teve uma correta revisão por parte da editora.

Os diálogos foram o aspeto que mais me fez confusão neste livro. Estão repletos de metáforas, são forçados, demasiado ensaiados e não consigo sequer imaginá-los como reais. Nem sequer imagino pessoas a falar assim na vida real, muito menos em livros.
Contudo, é através de muitos desses diálogos que a autora passa a mensagem do livro, uma mensagem de força e de que é possível superar as dificuldades. Esta é uma mensagem muito importante, e que certamente resultaria com diálogos diferentes.

As intervenções da Sol e as interações que as personagens têm com ela, por sua vez, pareceram-me bem mais reais. A Sol é uma criança amorosa e encantadora, que trouxe luz e alma a este livro. Notou-se o carinho com que a autora construiu esta personagem pois também a escrita, nesses momentos, era muito carinhosa.

O romance está escrito na primeira pessoa e vai alternando entre a perspetiva de Paola e a de André. O que senti, por diversas vezes, foi que nos eram dadas mais informações do que aquelas a que a primeira pessoa teria acesso. Era como se o narrador quisesse aproveitar as observações e pensamentos de determinada personagem e introduzir informações acerca daquilo que a rodeava.

Um outro aspeto que falhou neste livro foi o contar vs. mostrar. Este romance foi quase todo contado ao leitor, quando devia ter sido mostrado. O que é que acham que cativa mais um leitor: uma personagem contar a outra como sofreu com o seu passado ou o leitor ser levado ao passado para ver com os próprios olhos o sofrimento que ela vivenciou?
Este é um dos aspetos mais importantes numa narrativa e que faz a diferença entre o leitor sentir empatia pelas personagens ou não se preocupar minimamente com elas.

O que aconteceu comigo foi que não me consegui prender nem à Paola nem ao André. Não senti aquela química entre eles nem o crescer dos sentimentos e acho que a Paola se deixou envolver muito depressa, tendo em conta o estado fragilizado em que se encontrava.
As partes eróticas foram uma surpresa. Claro que esperava encontrar romance, mas houve momentos em que desesperei porque havia demasiadas cenas quentes para um livro tão pequeno.

Em suma, sinto-me defraudada. Estou triste por não ter apreciado este livro tanto como gostaria e por não ter sido capaz de perceber o que tem de tão especial, além da mensagem de força.
Sinto que fui enganada pela publicidade e estou arrependida de o ter comprado.
Não vou desaconselhar a sua leitura. Acho que devem lê-lo e formular a vossa própria avaliação. Talvez consigam encontrar nele o encanto que eu não encontrei.

Não sei se tenho curiosidade em conhecer as outras histórias desta série. Talvez dê outra oportunidade a um futuro livro da autora se o conseguir emprestado, mas certamente não voltarei a comprar.

Classificação: 2/5 estrelas

2 comentários:

  1. Concordo em grande parte com a tua opinião.
    Acho que só não concordo relativamente à mensagem do livro. Acho que não foi passada como devia.
    Também tenho algumas reticências em relação à Sol, não consegui senti o mesmo que tu.
    Tal como tu achei as cenas eróticas em quantidade exagerada. Uma ligação emocional entre os dois que me pareceu frágil, pois a autora só nos contava os factos.
    Bem, não foi o melhor livro lido mas acho que é um bom livro para perceber o que não se deve fazer. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi um livro difícil de avaliar, de analisar. Fiquei chateada com tanta coisa que, a certa altura, já nem sabia bem o que pensar.
      Ainda não o li assim há tanto tempo e praticamente já não me recordo de nada. :/

      Beijinhos

      Eliminar