quinta-feira, 15 de novembro de 2012

"A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata" de Mary Ann Shaffer e Annie Barrows [Opinião]

Este foi o primeiro romance epistolar, isto é, escrito através de cartas, que li. Sendo um género diferente do que estou habituada a ler, confesso que não me custou nada adaptar a este tipo de escrita. Na verdade, as cartas dão um carácter informal ao texto, como se fossem dirigidas a nós e não às outras personagens, o que faz com que fiquemos presos ao livro logo desde as primeiras páginas.

Este romance aborda a história  de Juliet, uma jovem escritora que, depois do estrondoso sucesso do seu primeiro livro, procura um assunto para o próximo livro.
Um dia, recebe uma carta de um senhor chamado Dawsey, habitante da ilha de Guernsey, a comunicar que tem um livro que outrora pertenceu a Juliet. Assim, iniciam uma correspondência e Juliet fica a saber que Guernsey foi ocupada pelas tropas alemãs durante a Segunda Guerra Mundial e que alguns dos seus residentes formavam um clube secreto a que davam o nome de Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata.
Fascinada pela história desta sociedade e pelos novos amigos com quem se corresponde, Juliet decide partir para Guernsey. O que encontra na ilha irá mudar a sua vida.

Este é um livro que fala de sacrifícios e perda, mas também de amor, de amizade, coragem e... de como os livros podem unir um grupo de pessoas. Apesar de não ter muita ação, é um livro doce, ternurento, que nos envolve ao virar de cada página e que no final nos deixa com um grande sorriso nos lábios.
As personagens são adoráveis e partilham connosco o amor pelos livros, daí que seja muito mais fácil identificar-nos com elas.

Acredito que nunca vou esquecer esta história e irei certamente recomendar este livro a todas as minhas amigas e também comprá-lo, quando não souber que prenda oferecer a alguém.
Leiam que vale a pena; é maravilhoso!

Classificação: 4/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário