sexta-feira, 9 de novembro de 2012

"O Pequeno Ditador" de Javier Urra [Opinião]

Decidi ler este livro pois já me tinha sido recomendado por um professor na licenciatura. Dizia ele que esta era uma leitura essencial para quem está nas áreas da educação e da psicologia e pude realmente comprovar isso durante o tempo em que andei a explorar o livro.

O Pequeno Ditador aborda fundamentalmente as crianças que violentam os seus pais, crianças estas com falta de limites, com demasiado mimo e a quem tudo é consentido. São crianças incapazes de resistir à frustração, que não ouvem um "não" assertivo e que querem os seus desejos satisfeitos no momento imediato. Desta forma, acabam por dar ordens aos pais, fazer chantagem e organizar a vida familiar à sua maneira. São crianças sem regras que se transformam em adolescentes com comportamentos disruptivos.

O livro está estruturado em diversos capítulos, começando por caracterizar os filhos agressores e apresentando a personalidade destas crianças, deixando algumas dicas sobre o que fazer com uma criança tirana. Seguidamente, surge um capítulo dedicado à educação, aos diversos tipos de estilos educativos e com ideias importante sobre como educar.
Um outro capítulo aborda o meio familiar, com temáticas tais como ser pai, ser filho, os papéis na família, o divórcio, o papel dos avós, entre outros. Segue-se um grande capítulo dedicado à adolescência e onde se abordam diversos tópicos, entre eles a droga, o absentismo escolar, as novas tecnologias, o amor, a amizade, a mentira, a depressão na adolescência, as fugas de casa, a violência e medidas de intervenção.
Por fim, o livro engloba as relações com os professores, a violência na escola e na rua (incluindo temas como o bullying, a violência nos jogos e na televisão) e algumas páginas dedicadas aos direitos e responsabilidades dos menores.

Apesar de estar escrito numa linguagem acessível e ser dirigido a pais, educadores, profissionais da educação e qualquer pessoa que se interesse por estas temáticas, este não é um livro de fácil leitura. Como apresenta imensa informação, requer bastantes pausas para refletir e interiorizar o que é dito. É, portanto, um livro para ler aos poucos, para aprender e, sobretudo, colocar em prática.

O autor termina com uma frase muito interessante, que passo a citar: "Se vai ser pai ou mãe, ou pensa sê-lo, olhe em frente com confiança, com profunda alegria, desfrute, porque educar não é fácil, mas é o mais belo trabalho que realizamos como humanos." (p. 366)

Classificação: 4/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário