domingo, 30 de dezembro de 2012

"A Rainha no Palácio das Correntes de Ar" de Stieg Larsson [Opinião]

É com muita pena que chego ao fim da fantástica Trilogia Millennium. Fiquei fascinada com a história destes três livros, mas não deixo de sentir uma grande tristeza por saber que tudo terminou. Nem quero pensar que o autor tinha planeado escrever 10 volumes!

Este livro é bastante diferente do primeiro (que gira em torno da investigação do desaparecimento de uma jovem) e dá continuidade aos acontecimentos do segundo volume.

No volume anterior, tivemos oportunidade de conhecer melhor e começar a desvendar o passado de Lisbeth. Este volume trouxe mais pormenores, mais explicações e mais respostas às nossas perguntas. No entanto, centra-se mais na conspiração política e jurídica de que Lisbeth foi vítima desde a infância.

Em termos de ação, o início deste livro é mais demorado, avança bastante devagar. De vez em quando, surge um acontecimento mais rápido, mas logo a seguir o livro retoma o seu avanço lento. Os últimos dez capítulos são de leitura compulsiva; é difícil largar o livro (apesar do seu peso) e as páginas parecem voar à frente dos nossos olhos.

Continuo a elogiar a escrita do autor, muito cativante, fluida, cuidadosa e com uma grande habilidade em explicar todos os pormenores. Felizmente, o autor deu uma conclusão à história do 2º e 3º volumes, deu-nos respostas e um final aceitável. Claro que ficaram a pairar alguns aspetos que seriam certamente tema para abordar nos volumes seguintes, mas quanto a isso só nos resta especular.

As personagens continuam com as suas personalidades bem consistentes. A Lisbeth é fenomenal e o Mikael é um verdadeiro amigo que fez tudo para revelar a verdade e para que se fizesse justiça.
Em relação à Erika, gostei muito que o autor tivesse colocado um assediador a persegui-la, criando bastante suspense; porém, a forma como ele foi descoberto e a explicação do porquê de andar a persegui-la podiam ter sido mais exploradas; acho que o assunto se resolveu demasiado depressa.

No geral, o meu livro preferido da trilogia foi o segundo visto que teve, indiscutivelmente, mais ação. Mas este terceiro também não deixa de ser especial por ser o último e por deixar imensas saudades.

Já tinha recomendado a leitura dos volumes anteriores, mas agora recomendo toda a trilogia. É fantástica! Vale a pena, sem qualquer dúvida, e é uma história a reler um dia mais tarde!

Classificação: 5/5 estrelas


Volumes anteriores:
Os Homens que Odeiam as Mulheres
A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo

Sem comentários:

Enviar um comentário