terça-feira, 12 de março de 2013

"Escravos da Paixão" de Kate Pearce [Opinião]

"Escravos da Paixão" é o 2º volume da série Casa do Prazer, já iniciada com o livro "Escravos do Amor".

Este livro centra-se na história de Peter Howard que, tal como Valentin - o protagonista do 1º volume - também esteve dez anos num bordel turco como escravo. Conhecemos também James e Abigail, um interessante casal que pede a Peter para os ajudar a reconciliarem-se na cama.

Quem já conhece a autora, sabe que estes livros são muito eróticos, basicamente do início ao fim. Além de se conhecer um pouco mais da Casa do Prazer, são também adicionadas diversas práticas sexuais, como sexo entre homossexuais, sexo a três, brinquedos eróticos, entre outros.
É um livro capaz de fazer corar os menos atrevidos e, portanto, deve ser lido de mente aberta e sem qualquer preconceito.

Não costumo sentir-me constrangida com este tipo de leituras (exceto se estiver alguém a espreitar por cima do meu ombro!), acho que de vez em quando são muito boas para descontrair, mas penso que desta vez a autora exagerou. Isto porque há sexo em todos os capítulos. Todos!! E o que é demais enjoa. A certa altura eu só queria que o livro terminasse porque, ao invés de me fazer relaxar, estava-me a cansar.

A autora criou uma história muito interessante sobre o bordel turco, mas não a desenvolveu convenientemente. Seria de esperar que se conhecesse mais a história, à medida que a série avança, mas isso não aconteceu neste livro. Lembro-me ligeiramente do volume anterior (que li no ano passado) e recordo-me de ter gostado da forma como a história foi desenvolvida. Comparando os dois, posso afirmar que este me desiludiu.

O passado de Peter é revelado, mas muito pouco explorado; acabamos por não saber quase nada do que aconteceu, a não ser que a mãe o abandonou em criança. Por causa disto ele é um homem muito inseguro, demasiado até para o meu gosto. Ao longo de todo o livro, ele comportou-se como uma vítima, um coitadinho que acha que não é merecedor do amor de ninguém.

A Abigail foi uma personagem muito interessante, sensata e extremamente curiosa a nível sexual. Gostei imenso dela e de conhecer a sua história, o que também podia ter sido melhor explorado.

Em suma, creio que o livro tinha tudo para apresentar uma história mais consistente, mas pecou pelo excesso de cenas de carácter sexual. Tudo bem que se trata de um romance sensual/erótico, mas se fosse atribuído mais destaque à história central e ao passado das personagens, a narrativa só ficaria mais rica.

Apesar de ter ficado um pouco desiludida, vou aguardar a publicação do 3º livro da série, dedicado à história da Madame Helene.

Classificação: 3/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário