sábado, 25 de junho de 2016

"Um Amor na Cornualha" de Liz Fenwick [Opinião]


Um Amor na Cornualha foi a minha estreia com a autora Liz Fenwick. O livro foi-me emprestado e chamou logo a minha atenção pela bela capa e pela sinopse.

A história começa com uma noiva em fuga. Jude não aguenta a pressão do casamento que se aproxima e foge da igreja, deixando uma nuvem de escândalo atrás de si. Envergonhada com a situação, acaba por ir para a Cornualha, onde aceita um emprego em Pengarrock, uma mansão em ruínas.
A casa é um refúgio que rapidamente cativa Jude, porém a mansão encontra-se em perigo de ser vendida, dado que Tristan, o novo proprietário, não partilha amor por aquela casa. Entretanto, Jude descobre um enigma familiar decorrente de uma tragédia que teve lugar séculos antes, e tem de correr contra o tempo para decifrar o enigma e salvar a casa.

A sinopse atraiu-me especialmente porque adoro livros com grandes mansões que guardam segredos centenários, por isso desde logo as minhas expectativas aumentaram. O que realmente aconteceu foi encontrar uma história bastante parada e que só perto do final desenvolveu o enigma.

O emprego que Jude aceita consiste em catalogar a biblioteca da família Trevillion, bem como uma grande quantidade de documentos do pai de Tristan. Durante uma grande parte do livro, pareceu-me que Jude não fazia mais nada senão ler e organizar documentos, o que começou a chatear-me pois sentia que, todos os dias, sempre que me dedicava ao livro, estava sempre a ler a mesma coisa.

Como já referi, a ação avança devagar e só nos últimos capítulos é que as personagens se dedicam a sério ao enigma. Gostava que a história por detrás desse enigma tivesse sido mais desenvolvida; infelizmente acabou ter receber apenas uma abordagem muito rápida.

As personagens são interessantes à sua maneira, mas faltou algo mais para que se tornassem inesquecíveis. Gostei da evolução de Jude e fico contente que não tenha levado o casamento para a frente. A relação entre ela e os pais, principalmente a mãe, é complicada, e com muita dor pelo meio, devido a um pormenor que nos é explicado logo no início do livro.

A relação amorosa que surge entre os protagonistas foi previsível e achei-a bastante morna; infelizmente também não senti grande química entre o casal.

Apesar destes aspetos que referi, este é um livro que fala de amor: amor entre um casal, amor pela família, amor pela profissão e amor por uma mansão com centenas de anos. É também um livro que nos fala de mudanças e de recomeçar; de desgosto e de redenção.

A autora presenteia-nos com magníficas descrições das paisagens da Cornualha, sendo notável o amor que sente por este local. Além disso, noutros livros da autora a ação também decorre na Cornualha.

Em conclusão, não posso dizer que é um livro mau, pois estaria a mentir. É um livro interessante, de leitura fluída e que agradará aos leitores menos exigentes ou a quem pretender uma história mais descontraída. Infelizmente, não me cativou tanto como esperava, mas tenciono experimentar outros romances da mesma autora.

Classificação: 2/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário