sábado, 3 de dezembro de 2016

"Matéria Escura" de Blake Crouch [Opinião]


"Se existem mundos infinitos, como encontro aquele que é única e especificamente meu?"

Este livro foi-me enviado de surpresa pela editora Suma de Letras (Grupo Editorial Penguim Random House) e agradeço desde já este mimo e a oportunidade que me deram de me estrear com o autor Blake Crouch.

Muitos de vocês já devem estar familiarizados com a obra mais conhecida deste autor: refiro-me à série Wayward Pines, que, não só vendeu mais de um milhão de exemplares, como também deu origem a uma série de sucesso do canal Fox.

Lembro-me de ter começado a ver a série quando estreeou, mas ao fim de três episódios não me sentia nada cativada e acabei por desistir. Talvez naquela altura andasse cansada e sem paciência para uma série deste género.

Matéria Escura foi, assim, a minha verdadeira estreia com este autor. A sinopse é cativante e dá-nos algumas pistas do que poderemos encontrar neste livro, contudo, a história revelou-se muito diferente daquilo que eu imaginava e acabou por ultrapassar grandemente as minhas expectativas. Se tivesse de caracterizar este livro em apenas uma frase, diria que foi diferente de tudo o que eu já li.

A história inicia-se com o nosso protagonista, Jason Dessen, a ser raptado por um sequestrador disfarçado. Quando acorda, encontra-se numa maca, rodeado de estranhos que lhe sorriem e lhe dizem: "Bem-vindo de volta, Jason!".
É num estado de grande confusão que Jason começa a perceber que aquele não é o seu mundo. A sua mulher não é sua mulher, o seu filho nunca nasceu e ele próprio não é um professor numa faculdade medíocre, mas sim um génio reconhecido que foi capaz de algo notável.
O que se passou então? Estará Jason a viver um sonho? Será este mundo real? E, principalmente, o que poderá fazer para voltar para a família que ama?

A escrita do autor é bastante simples, com muitos diálogos, frases pequenas e bastantes parágrafos, o que até resultou muito bem, pois oferece dinamismo e ação à história. Não há partes exageradamente descritivas e o suspense está sempre presente.

O que torna este livro mesmo diferenciador é a ideia base e a forma com a narrativa foi construída e explorada. Matéria Escura é um livro sobre escolhas, decisões e caminhos não escolhidos. É um livro que nos permite verdadeiramente refletir acerca da nossa vida e se estamos realmente felizes com os caminhos que escolhemos. Como seria a nossa vida se tivéssemos tomado decisões diferentes? E se tivéssemos oportunidade de viver escolhas que nunca fizemos mas que desejaríamos ter feito?

Sem querer revelar muitos pormenores, este livro retrata a possibilidade da existência de mundos infinitos, de realidades alternativas. Não é no sentido de viagens no tempo, dado que não existe uma máquina que transporta o protagonista para outro mundo, mas baseia-se em conceitos e teorias científicas reais. Pode parecer estranho no início, mas o autor explica tudo muito bem e dá-nos imagens fáceis de imaginar.

Podia continuar a escrever acerca deste livro, que ainda hoje, mesmo duas semanas depois de ter terminado a sua leitura, continua a vir-me ao pensamento e a provocar-me imensas questões. Depois de ler um livro como este, é inevitável não analisarmos a nossa vida e todas as decisões que tomamos.

Se apreciam ficção científica, universos paralelos, não percam mais tempo e leiam este livro! Se, pelo contrário, não apreciam muito o tema, continuo a achar que vale mesmo a pena darem uma oportunidade ao autor. Eu fiquei abismada com a sua criatividade e completamente rendida! Tenciono dar uma nova oportunidade à série Wayward Pines e ficar atenta a novas obras que sejam publicadas no futuro.

Classificação: 5/5 estrelas

Nota: Este livro foi-me cedido pela editora em troca de uma opinião honesta.

Sem comentários:

Enviar um comentário