quinta-feira, 13 de julho de 2017

"O Escultor" de Carina Rosa [Opinião]


O Escultor é o mais recente trabalho da autora Carina Rosa e que tive oportunidade de ler graças à Silvana, que me emprestou o livro.

Sentia-me muito curiosa por se tratar de um livro diferente do estilo habitual da autora.
Apesar deste livro ter sido divulgado como policial, penso que se encaixa melhor no género de suspense ou suspense romântico. Existe investigação policial, mas é tratada de forma bastante superficial, com pouco mais do que inquéritos e buscas a residências. Além disso, a investigação é levada a cabo quase exclusivamente pelo inspetor André.

O que existe mais ao longo do livro é suspense, até porque o assassino é rapidamente identificado e, a partir deste momento, o leitor concentra o seu interesse em descobrir como será o confronte final entre o assassino, as vítimas e a polícia.

Relativamente às personagens, gostei imenso da forma como as personalidades de Mariana e Alice contrastavam. Mariana era fria, rígida e com a sua vida planeada ao pormenor, enquanto a amiga era extrovertida e sempre com desejo de se divertir, desfrutando ao máximo da vida e da sua independência. Gostei muito de ver como a amizade de ambas de tornou tão especial, apesar das suas diferenças.
Pedro foi uma personagem que me cativou desde o início porém, de um momento para o outro, ficou louco e extremamente possessivo e ciumento. Penso que algo não correu bem nesta transição, foi muito repentina, quase como se estivéssemos perante duas personagens diferentes.
André, o inspetor, não me cativou totalmente, embora compreenda que alguns aspetos que o caracterizam - como andar sempre mal-humorado, ser mais frio e desapegado - se devem ao seu trabalho, ao facto de ter em mãos um caso complicado e também devido ao seu passado tortuoso.
Por fim, o Escultor é uma personagem extremamente repugnante e foi bastante interessante aceder à sua mente doentia, testemunhar as suas ações e perceber o que o levava a agir. Ele recebeu uma caracterização muito boa e completa por parte da autora.

No geral, é uma leitura cativante, com boas doses de mistério e um capítulo inicial arrepiante e que fomenta a curiosidade do leitor.
O final é intenso, embora a forma como a polícia atuou me tenha deixado bastante irritada. Os últimos capítulo também são demasiado românticos, mas creio que já faz parte do estilo da autora querer dar um final amoroso às suas personagens.

Uma leitura interessante para quem deseje apostar na literatura nacional e conhecer uma autora que tem vindo a evoluir a cada novo trabalho!

Classificação: 3/5 estrelas

2 comentários:

  1. Parece que o Escultor é uma personagem que agrada à maioria dos leitores :).
    Já falamos sobre os capítulos finais e concordo contigo em algumas coisas.
    Mariana e Alice forma uma dupla com uma amizade improvável que enche as medidas dos leitores.
    Sabes, quando estamos emocionalmente envolvidas com o livro, acho que a certa altura começa a ser difícil distanciarmo-nos de tudo.
    Ainda bem que gostaste.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Escultor ficou muito bem construído, é fácil ficar enojado com o que ele faz às suas vítimas.
      Sim, no geral foi uma leitura com balanço positivo. :)

      Beijinhos

      Eliminar