segunda-feira, 12 de agosto de 2013

"Incarceron" de Catherine Fisher [Opinião]

"E enquanto ardia dentro dele, falou no mais baixo dos murmúrios, como o sussurro do pó nos corredores desertos, o roçar das cinzas no coração do fogo." (pág. 182)

Incarceron foi a minha estreia com a autora Catherine Fisher. Este livro chamou-me a atenção pela sinopse e por se inserir no género da fantasia/ficção científica.

A história passa-se num mundo futurista; por um lado, temos a Prisão viva, que vê e controla tudo e que abrange galerias, masmorras, cidades em ruínas e bosques de metal; por outro lado, temos uma sociedade vigiada por um sofisticado sistema de inteligência artificial, mas concebida à semelhança de um cenário do século XVII.

Na Prisão encontra-se Finn, um prisioneiro sem memórias mas que não aceita pertencer àquele lugar. No Exterior, encontra-se Claudia, condenada a um casamento de conveniência que não lhe agrada. Ambos se vão conhecer quando encontram um dispositivo - uma chave - que lhes vai permitir comunicar e traçar um plano de fuga.

Gostei muito da escrita da autora, cativante, sem grandes descrições e usando alguma perícia com as palavras; agradou-me especialmente a frase que transcrevi mais acima!

Em relação a este mundo e à Prisão, o livro exige que o leitor esteja concentrado e faça um grande esforço, não só a tentar visualizar os locais, como a imaginar todas as cenas. Além disso, embora haja ação e o final tenha sido bastante emocionante, a autora deixou por explicar muitos aspetos importantes ao longo do livro. Por exemplo, a Prisão é composta por diferente alas onde vivem grupos de prisioneiros, como os Cívicros e os Comitatus. No entanto, estes e outros conceitos aparecem sem uma definição que nos permita perceber quem são e o que fazem, o que dificulta a compreensão deste mundo tão complexo.

Resumidamente, gostei da história e o final deixou-me com uma pontinha de curiosidade acerca do próximo volume. Espero ter oportunidade de o ler em breve!

Classificação: 3/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário