segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

"O Carrasco do Medo" de Chris Carter [Opinião]


«Não escolha este livro a menos que tenha tempo livre, porque não vai conseguir parar de o ler. Cinco estrelas!»
Crimesquad

Chris Carter é, na minha opinião, um dos melhores autores contemporâneos de romance policial. Consegue oferecer-nos histórias viciantes e repletas de suspense, aplicando nelas os conhecimentos que adquiriu durante os anos em que trabalhou como psicólogo criminal.

O Carrasco do Medo é o segundo volume da série iniciada com O Assassino do Crucifixo.
Este livro inicia-se com o aparecimento de um cadáver. Trata-se de um padre que foi decapitado. O seu corpo foi dilacerado e no seu peito está desenhado o número 3 com sangue.

É aqui que tem início uma investigação que nada terá de fácil. Novos corpos começam a aparecer mais depressa do que as respostas e os detetives Hunter e Garcia sentem que o tempo escasseia.

Chris Carter recorre a capítulos mesmo muito pequenos para garantir que o leitor não consegue parar de ler. O suspense aliado aos terríveis assassinatos e à vontade desenfreada de descobrir tudo o que eles escondem são de facto ingredientes que funcionam na perfeição.

Os crimes perpetrados neste livro são aterradores. Noto que, a cada novo livro, o autor se supera na descrição, no tipo de crimes, na maldade a que o ser humano consegue chegar. Por vezes questiono-me como é que o autor consegue inventar tantas formas diferentes e macabras de matar pessoas. É arrepiante, é verdade, mas também é incrível conhecer tão bem a mente dos assassinos.
Neste livro, temos um assassino que recorre ao pior medo das suas vítimas para as matar. Tenebroso, não é?


As descrições do autor são extremamente gráficas, o que poderá causar desconforto em alguns leitores. Eu adoro este tipo de livros, quanto mais negros, melhor, mas não deixo de me sentir agoniada em certas partes. Confesso que, após ter lido este livro, já não sou capaz de olhar para a lareira cá de casa da mesma forma!

O que eu acho mais interessante nos livros do autor é que os motivos do criminoso até nem são nada de especial. Por vezes as pessoas matam pelas razões mais fúteis, e os livros não diferem muito da realidade. O incrível aqui é ver como o autor desenvolve a narrativa, transferindo toda a espetacularidade para o tipo de crimes e respetiva explicação.

Ainda não é neste livro que se descobre mais acerca da vida de Robert Hunter, embora já tenha sido levantada a ponta do véu. Estou mesmo desejosa de conhecer melhor o passado desta personagem tão intrigante.

Em conclusão, se adoram policiais com crimes muito violentos e descrições gráficas, este autor é imperdível. Se possível, leiam a série por ordem; permite-vos conhecer bem melhor as personagens.

Classificação: 5/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo teu comentário e pelo tempo que dedicaste a ler o que escrevi!