sexta-feira, 7 de março de 2014

"A Herança" de Katherine Webb [Opinião]

Estou a começar a descobrir que me agradam imenso os romances com uma mansão antiga, onde se escondem segredos de família, passados dramáticos que agora vão ser descobertos. Este é o terceiro livro que leio do género e posso desde já recomendar-vos As Horas Distantes, de Kate Morton, e Mariana, de Susanna Kearsley.

Neste romance, as irmãs Erica e Beth Calcott regressam a Storton Manor, onde se encontra a imponente mansão de família que herdaram após a morte da avó. É aqui que Erica relembra as férias de verão da sua infância e, principalmente o primo Henry, que desapareceu daquela mesma casa sem deixar rasto, dilacerando a família e marcando Beth terrivelmente. Agora Erica decide investigar o passado e descobrir o que aconteceu a Henry, para que a irmã possa finalmente encontrar alguma paz.

A narrativa deste livro decorre no presente - quando as irmãs chegam à mansão - e no passado, iniciando-se em 1902 - quando nos é contada a história de Caroline, a bisavó das duas irmãs. Ambas as histórias são contadas alternadamente até que o passado e o presente acabam por convergir, levando as irmãs a encararem uma dolorosa herança.

O início do livro é lento, bastante descritivo e os capítulos são enormes, pelo que é necessário insistir um pouco na leitura até que ela nos agarre. Assim que isso acontece, o leitor deixa de se incomodar tanto com a descrição (um pouco excessiva, em algumas partes), pois só desejará prosseguir na leitura e descobrir os segredos desta família.

Foi desta forma que me senti, presa e enfeitiçada pelo passado de Caroline, cuja vida me impressionou imenso. As suas escolhas e ações acabaram por influenciar, mais tarde, a sua relação com a filha, Meredith, e a própria relação de Meredith com a filha, a mãe de Erica e Beth. Este livro aborda fortemente as relações familiares e ilustra como o sofrimento passado prejudica, muitas vezes, essas relações.

O segredo em torno do desaparecimento do primo Henry foi uma reviravolta que eu não esperava e acabei por adorar este desfecho.

A própria Erica chega ao fim sem descobrir toda a verdade; há um pormenor importante que ela não chega a desvendar e tem noção disso, pois a certa altura afirma: "algumas coisas perderam-se no passado - decerto que é por isso que o passado é tão misterioso, e por isso é que nos fascina". Em contrapartida, a nós leitores é-nos contado tudo, todas as peças se unem e fazem sentido; mas confesso que tive vontade de entrar nas páginas deste livro e explicar a Erica o que ela não descobriu. É uma sensação fascinante, não é?

Foi a primeira vez que li uma obra da autora e fiquei muito surpreendida, ela é realmente uma boa contadora de histórias e estou desejosa de voltar a ler algo dela. Se não conhecem a autora e gostam deste tipo de romances, então aqui fica a recomendação de mais um livro que devem ler.

Classificação: 4/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário