quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Projeto Conjunto | Empréstimo Surpresa [Desafio]


Terminei há alguns dias a leitura do livro Alexander, que a Silvana me emprestou no âmbito deste projeto conjunto. Agora vou mostrar-vos o desafio que ela elaborou para eu responder.

DESAFIO

Tatiana e Alexander protagonizam uma das mais belas histórias de amor do mundo literário. É difícil esquecer todos os momentos que marcaram as narrativas de vida de cada um deles.
Agora vai estar nas tuas mãos dar um colorido especial a este final épico.

Os anos nos EUA passavam ao ritmo daquilo que sentiam. Tatiana e Alexander procuravam viver tudo de forma intenta como se, dessa maneira, conseguissem apagar todos os momentos de ausência. Era difícil lidar com sentimentos tão complexos. Era difícil expressar verbalmente todas as feridas que teimavam em permanecer ali, no sítio onde os seus corações se tocavam… Ao mesmo tempo eles precisavam de expulsar todas as dores que tornavam o amor um lugar preenchido por sombras de dor…”

Imagina que a escrita foi a forma que Tatiana e Alexander encontraram para expressar as dores pelas quais passaram. Assim, através de pequenos bilhetes deixados ao acaso no espaço que passaram a partilhar, cada um deles ia expulsando os fantasmas.

Tendo em conta isto, mostra-nos um bilhete de Alexander para Tatiana e um de Tatiana para Alexander.

A MINHA RESPOSTA

Bilhete de Tatiana para Alexander (recordando o nascimento de Anthony):

Meu querido Shura, nunca quis tanto que estivesses comigo como no dia em que o nosso menino nasceu. Desesperadamente desejei que tivesses presenciado aquele momento tão especial e intenso. És o meu coração, a minha metade, o único homem que sempre amarei, e por isso fizeste tanta falta nesse dia. Espero que esta vida ainda te permita recuperar todo o tempo que perdeste com o nosso menino. Tua para sempre, Tatiana.

Bilhete de Alexander para Tatiana (recordando um momento de fraqueza durante a guerra):

Tatiana, minha amada Tania, nunca perdi a esperança de te reencontrar quando estive prisioneiro, nem quando me enviaram para a guerra, nem muito menos quando me voltaram a fazer prisioneiro. Mas houve momentos de fracasso e de desespero que me fizeram duvidar de que conseguiria sobreviver a tantas privações e dificuldades. Mas como poderia eu duvidar e desistir se tu nunca desististe de mim? Tu, que me curaste. Tu, que limpaste as minhas feridas. Tu, que me devolveste a vida com o teu próprio sangue. Tu, que me amaste e me fizeste amar-te como nunca pensei ser capaz. É por isso, Tania, que és e sempre foste a minha força e a tua presença no meu pensamento salvou-me a vida mais vezes do que as que consigo contar. Amo-te para sempre, minha Tatiana.

Silvana, confesso que este desafio me deu que pensar, mas após algum esforço lá consegui dar resposta. Espero que não esteja assim tão mau e que tenha conseguido responder ao que pretendias. Venha o próximo livro!!

2 comentários:

  1. Adorei :). Está lindo!!!
    Eu sei que foi mais trabalhoso... Não era a minha intenção. Desculpa. Espero que,mesmo assim, tenhas gostado de fazer.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :) Até me fazes corar!
      Não tens nada que pedir desculpa, afinal é um desafio, não é? :D
      Deu mais trabalho mas gostei imenso de responder!
      Beijinhos

      Eliminar