sábado, 21 de julho de 2012

"Guerra Mundial Z" de Max Brooks [Opinião]

Agradeço desde já ao meu irmão que acedeu bondosamente a partilhar aqui no blog a sua opinião deste livro. Aqui fica ela:

“Perdemos muito mais do que apenas pessoas, quando as abandonámos às mãos dos mortos. É a única coisa que direi.”

Desde o foco de origem da infecção até ao pós-guerra, passando pelas imensas batalhas travadas entre os mortos e os vivos, Max Brooks conta-nos a história de uma guerra fictícia entre os humanos e os mortos-vivos através de relatos de pessoas espalhadas por todo o mundo. Sejam oficiais do Exército ou simples sobreviventes que tiveram sorte, cada entrevistado dá-nos a conhecer a sua experiência no terror que foi a Guerra Mundial Z, que dizimou grande parte do mundo.
Não se trata de um livro normal em que o narrador apresenta a história de forma fluida. Em vez disso, o narrador apenas tem o papel de introduzir o entrevistado. Se ainda não se sentiram curiosos em pegar no livro, peguem pelo menos por causa da forma original como a história é contada.
Não se trata também de um livro que heroifica um personagem ou um grupo de personagens, como se vê em muitos filmes e séries, mas que acaba por heroificar a humanidade em si e a geração que viveu esta guerra – a geração que conseguiu travar a ameaça dos zombies.

Lançado em 2006 e editado em Portugal em 2010, “Guerra Mundial Z” já tem uma adaptação para cinema prevista para o próximo ano. É uma obra imperdível para os amantes de zombies e aconselhável também para quem, por outro lado, não se interessa tanto pelo assunto.

Classificação: 5/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário