sexta-feira, 17 de agosto de 2012

"Os Homens que Odeiam as Mulheres" de Stieg Larsson [Opinião]

Comecei esta leitura com expectativas muito elevadas. Depois de ler e ouvir opiniões muito boas, e ver toda a gente com a febre da Trilogia Millennium, decidi pegar no primeiro livro e perceber, por mim mesma, porque é que é tão falado.

Mikael Blomkvist é um jornalista de economia que acaba de ser julgado por difamação e condenado a três meses de prisão. Assim, decide afastar-se por uns tempos das suas funções na revista Millennium.
Ao mesmo tempo, é contratado para escrever a história da família Vanger, mas esta tarefa é apenas a cobertura para a sua verdadeira missão: descobrir o que aconteceu à sobrinha-neta de Henrik Vanger, que desapareceu há quase quarente anos, sem deixar rasto.
Para o ajudar na investigação, Mikael recorre a Lisbeth Salander, uma estranha rapariga cheia de tatuagens e piercings, mas também uma excelente hacker.
Ambos mergulham no passado da família Vanger e acabam por descobrir uma história mais tenebrosa do que poderiam imaginar.

De início, custa um pouco a entrar nesta história. O primeiro capítulo é um dos mais maçadores, o segundo já é mais interessante porque somos apresentados à enigmática personagem feminina; depois voltam alguns capítulos com partes que voltam a aborrecer e sem nenhuma ação.
Mas vale a pena fazer um esforço nas primeiras 180 páginas; é importante conhecermos a missão do Mikael e as personagens, bem como a constituição da numerosa família Vanger.

Quando Mikael começa a investigação, a história decorre com mais fluidez e, quando surgem as primeiras pistas, já estamos completamente embrenhados na leitura e muito curiosos acerca do que irá acontecer.
Um dos pontos altos, para mim, foi quando Mikael e Lisbeth começaram a trabalhar juntos. A personalidade de Lisbeth fascina-me e o facto de ser uma personagem tão estranha e enigmática deixa-me desejosa de conhecer toda a sua história.

Estes dois fazem um par excelente a investigar e a leitura torna-se alucinante, as páginas voam, não conseguimos parar de ler e, mesmo quando paramos, o nosso cérebro continua a remoer a história.

Adorei os crimes com referências à Bíblia (não sei porquê mas gosto imenso de crimes baseados em passagens ou histórias da Bíblia) e o autor não deixa pontas soltas; fica tudo explicado até ao mínimo pormenor.

O final do livro já foi mais calmo, o que não me agradou tanto, mas deu para ter mais provas da inteligência da Lisbeth. Estou mesmo muito curiosa com esta personagem.

Fiquei muito contente por ter conhecido este novo autor e só acho que devia ter pegado nesta trilogia há mais tempo. Em breve, irei dedicar-me aos livros que se seguem na trilogia.

Classificação: 4/5 estrelas

Sem comentários:

Enviar um comentário