sábado, 16 de junho de 2012

"Calafrio" de Sandra Brown [Opinião]

Depois de ter lido tantas maravilhas acerca de Sandra Brown, sentia-me ansiosa por poder ler algo dela. Fiquei surpreendida ao saber que esta autora já escreveu mais de setenta romances, na sua maioria bestsellers.
Assim, ao pegar neste livro, e mesmo antes de ler a sinopse, já tinha as expectativas bem elevadas.

Na pacata cidade de Cleary, cinco mulheres desapareceram em dois anos e meio. Não há corpos, pistas ou suspeitos, só uma fita azul abandonada no local onde cada uma das mulheres foi vista pela última vez.
Lilly regressa à cidade para terminar o casamento com Dutch, o chefe da polícia local, e vender a sua cabana de montanha. Ao iniciar a viagem de regresso, debaixo de uma tempestade de neve, Lilly atropela um homem que surge repentinamente do bosque. Este homem é Ben Tierney, que ela conhecera no verão passado. Ambos são obrigados a voltar à cabana para se abrigarem da tempestade.
Fechados na cabana, incontactáveis, quase sem aquecimento e com poucos víveres, Lilly e Ben vão-se sentindo atraídos, ao mesmo tempo que Lilly suspeita que ele seja a verdadeira ameaça.
Será Ben o verdadeiro raptor ou o homem que a poderá salvar?

Muito sucintamente, este livro pode ser caracterizado em três palavras: impossível de largar. Foi o que eu senti logo desde o primeiro capítulo; só pensava no livro e em ter tempo para ler mais um bocadinho (reparem que até a capa exerce um efeito hipnótico sobre nós).

Logo nas primeiras quatro páginas, damos de caras com o presumível assassino, o que me deixou logo intrigada. Então a autora começa o livro a revelar o assassino?, pensei eu. Talvez ela quisesse que nos sentíssemos como Lilly, com imensas dúvidas acerca deste homem. E dei comigo a sentir medo nas situações de maior tensão, afinal de contas eles estavam fechados numa cabana, rodeados de neve, sem qualquer fuga possível.

Entretanto, envolvemo-nos igualmente com as outras personagens; sentimos o ciúme doentio, a mesquinhez e a curiosidade pelos segredos que as envolvem… e que nos deixam a desconfiar de todos. Mas nem assim consegui descobrir o que iria acontecer no final, que foi surpreendente.

Adorei a escrita desta autora, muito fluida e sem exagerar nas descrições. E com uma grande capacidade de criar mistério e imprevisibilidade. Agradou-me também a mistura de policial com romance e tensão sexual. Digamos que é um policial descontraído, com muito suspense.
Continuo claramente com vontade de ler os restantes livros dela, só para tirar as dúvidas, mas tenho a sensação de que vou continuar a ser surpreendida.

Classificação: 4/5 estrelas

[edição do post original de 02.06.12]

2 comentários:

  1. Estou a ler este livro agora e estou a adorar. Já tinha lido o "Ricochete" mas acho que estou a gostar mais deste...

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
  2. Maria, é realmente bom e viciante! Também estou ansiosa por ler o "Ricochete"!

    boas leituras :)

    ResponderEliminar